Um Discurso Sobre Gênero nos Currículos de Ciências.

Elizabeth Macedo

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar, tendo como contraponto outros sistemas referenciais, as tradições hegemônicas nos currículos de ciências desde os anos 90, com destaque para a diferença
de gênero. São analisados os livros didáticos mais vendidos no período, entendidos como
dimensão operativa do currículo e tratados como produtos culturais. A diferença é
concebida a partir das matrizes antropológica e pós-colonial psicanalítica. A análise
conclui que o currículo, além de biologizar a diferença e individualizar as diferenças entre
homem e mulher ao vincular gênero, sexo e reprodução, intensifica a dicotomia ao generizar
outras esferas da ciência. O caráter cultural de conceitos de masculino e feminino é
reduzido, com a universalização da diferença para além do próprio humano.

Palavras-chave


Currículo. Cultura. Educação em ciências.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo