A uberização da coleta seletiva: reflexões sobre as novas formas de trabalho na era da economia digital

Alexandro Cardoso

Resumo


O presente artigo tem por objetivo apresentar reflexões sobre as novas formas de trabalho na era da economia digital, mais precisamente, o advento do uso de aplicativos celulares e sua contribuição para a flexibilização das relações de trabalho das catadoras e dos catadores de materiais recicláveis pertencentes ao universo da reciclagem de resíduos sólidos. Esses aplicativos buscam simplificar o contato entre catadoras, catadores e as geradoras e geradores de resíduos sólidos, construindo uma forma subjetiva de inclusão social, geração de trabalho e renda, assim configurando uma nova modalidade de exploração das trabalhadoras e trabalhadores denominada uberização. Buscarei refletir a participação, relação e responsabilidades de geradores, empresas e poder público no serviço da coleta seletiva. Por meio de aplicativos, contrata-se o serviço sem a obrigatoriedade de pagamento, ficando o trabalho e as decorrências para sua realização sob responsabilidade da catadora e do catador de materiais recicláveis. Esta modalidade não gera compromisso para a/o contratante, que passa a não se preocupar com seu consumismo; desloca a obrigatoriedade do poder público de executar, bem como valorizar as organizações coletivas de catadoras e catadores. Neste mesmo sentido, afeta a logística reversa, retirando a obrigatoriedade das empresas privadas produtoras de resíduos. Com a uberização da coleta seletiva a responsabilidade das geradoras e geradores, o gerenciamento e gestão de resíduos pelas prefeituras e empresas privadas é direcionada/atribuída somente às catadoras e os catadores individualizados.

Palavras-Chave: Uberização; Coleta Seletiva; Catadora e Catador de Materiais Recicláveis.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.