Competências críticas e justificação: notas sobre duas formas de crítica às políticas públicas de redistribuição de renda no Brasil

Autores

  • Fernando Marcial Ricci Araujo Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

O presente artigo busca descrever e analisar competências críticas que visam uma reprovação do papel das políticas de redistribuição de renda. O estudo descreve duas competências críticas que estabilizam duas formas distintas de avaliação moral das referidas medidas de Estado. A primeira, sustenta-se a partir de uma concepção de igualdade dentro da qual ela é tomada como um valor do tempo presente - e não do tempo por vir – o que promove as condições para uma crítica às medidas redistributivas cujo critério seja baseado na “política da diferença”. A segunda, utiliza a ideia do “esforço individual” como princípio emergente de justiça. Neste quadro, a autossuperação pelo trabalho surge como referência moral a partir da qual os indivíduos validam moralmente a desigualdade como resultado natural das diferentes capacidades de cada um em engajar-se na vida do trabalho. O estudo inspira-se metodologicamente nas contribuições da sociologia pragmática francesa e tem como horizonte a contribuição para uma sociologia moral dos problemas públicos.


Palavras-chave: Competências Críticas; Sociologia Pragmática Francesa; Sociologia dos Problemas Públicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-09-22

Edição

Seção

Artigos