Tradução de metáfora: Implicações da abordagem cognitiva

Luiz Felipe Lipert

Resumo


Em Estudos de Tradução, a traduzibilidade das metáforas é uma questão recorrente, principalmente no que tange aos métodos de transferência de significado. Muito se discute sobre a possibilidade das metáforas se tornarem uma barreira no processo tradutório, uma vez que diferenças linguísticas e culturais podem dificultar a atividade de transferir uma língua e cultura para outra. Para lidar com essa questão, diversas estratégias de tradução já foram sugeridas: substituição (transformação de uma metáfora em outra); paráfrase (reformulação do sentido da metáfora); omissão, entre outras. Tais estratégias aparecem tanto nos modelos normativos de tradução (como traduzir metáforas), quanto nos modelos descritivos (como os tradutores lidam com metáforas). Após um breve panorama de como as metáforas são abordadas nos Estudos de Tradução, este artigo discute algumas implicações que a abordagem cognitiva sobre o assunto pode trazer para a prática e para as teorias de tradução. Exemplos de textos autênticos nas línguas de partida e chegada (discursos políticos em alemão e inglês) mostram como os tradutores lidaram com expressões metafóricas e que efeitos isso causou no texto, na recepção do texto e no desenrolar discursivo subsequente.

 

Palavras-chave: Metáfora conceitual; Inglês; Francês; Alemão; Expressão metafórica; Estudos de Tradução.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Cadernos de Tradução