O grande terremoto de Lisboa e a irrupção de uma nova ordem socioeducativa

Gisela Maria do Val (Brasil), Julio Groppa Aquino (Brasil)

Resumo


O presente artigo, lastreado por algumas noções teóricas legadas por Michel Foucault, devota-se a descrever e analisar a emergência de uma nova ordem social em Portugal após o terremoto de 1775, responsável pela reconfiguração do nexo poder-saber-verdade que havia pautado os modos de existência até então. A argumentação mobiliza um conjunto de documentos da época, por meio dos quais é possível testemunhar a constituição de uma nova arte de governar apoiada em estratégias educativas dos viventes. Assim, a ideia de população desponta como elemento central de um tipo de governamento operado, entre outras iniciativas, pela propagação de uma racionalidade de base científica.


Palavras-chave


terremoto de 1755; população; governamento; educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Jean Luiz Neves. Tratados e construção do saber médico: alguns aspectos dos paratextos nos impressos de medicina luso-brasileiros - século XVIII. Revista Territórios & Fronteiras, v. 6, n. 2, p. 21-34, 2013.

ALVES, José Augusto dos Santos. O Marquês de Pombal e a mudança de paradigma. Cultura, Lisboa, v. 22, p. 177-192, 2006.

AMADOR, Filomena. O terramoto de Lisboa de 1755: colecções de textos do século XVIII. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 285-323, jan./mar. 2007.

ARAÚJO, Ana Cristina. Ruína e morte em Portugal no século XVIII: a propósito do terramoto de 1755. Revista de História das Ideias, Coimbra, p. 327-363, 1987.

ARAÚJO, Ana Cristina. The Lisbon earthquake of 1755: public distress and political propaganda. e-journal of Portuguese History, v. 4, n. 1, 2006.

ARAÚJO, Norberto de. Peregrinações em Lisboa. Lisboa: Vega, v. IX, 1939.

ARCHER, Maria. Tipos populares: o moço dos fretes. Revista Municipal, Lisboa, n. 8, p. 53-56, 1941.

AZEVEDO, Fernando de. A transmissão da cultura. São Paulo: Melhoramentos/INL, 1976.

BELO, André. A Gazeta de Lisboa e o terramoto de 1755: a margem do não escrito. Análise Social, Lisboa, v. 34, n. 151-152, p. 619-637, 2000.

BOTO, Carlota. A escola do homem novo: entre o Iluminismo e a Revolução Francesa. São Paulo: Edunesp, 1996.

BOUTARIC, Jean-José. Le tremblement de terre de Lisbonne de 1755. Médecine de Catastrophe: urgences collectives, v. 1, n. 2, p. 71-76, 1998.

BRAUN, Theodore E. D; RADNER John B. The Lisbon earthquake of 1755: representations and reactions. Oxford: Voltaire Foundation, 2005.

CARTA ANÓNIMA. Lisboa, 19 de novembro de 1755. In: SOUSA, Maria Leonor Machado de; NOZES, Judite da Conceição Evaristo (org.). O terramoto de 1755: testemunhos britânicos. Lisboa: Ed. Lisóptima/The British Historical Society of Portugal, 1990. p. 149-153.

CARVALHO E MELO, Sebastião José de. Memórias secretíssimas do marquês de Pombal e outros escritos. Lisboa: Publicações Europa-América, s/d.

CARVALHO, Laerte Ramos de. As reformas pombalinas da instrução pública. São Paulo: Edusp/Saraiva, 1978.

CARVALHO, Rómulo de. Actividades científicas em Portugal no século XVIII. Évora: Universidade de Évora, 1996.

CHANTAL, Suzanne. Vida quotidiana em Portugal ao tempo do terramoto. Lisboa: Livros do Brasil, 1962.

DEL PRIORE, Mary. O mal sobre a terra: uma história do terremoto de Lisboa. Rio de Janeiro: Top Books, 2003.

DOSSIÊ El terremoto lisboeta de 1755. Cuadernos Dieciochistas, Salamanca, v. 6, 2005. Disponível em: http://revistas.usal.es/index.php/1576-7914/issue/view/308. Acesso em: 15 jul. 2018.

DYNES, Russell R. The dialogue between Voltaire and Rousseau on the Lisbon earthquake: the emergence of a social science view. International Journal of Mass Emergencies and Disastres, v. 18, n. 1, p. 97-115, mar. 2000.

ECKART, Anselm. Memórias de um jesuíta prisioneiro de Pombal. Braga: Secretariado Nacional do Apostolado a Oração; São Paulo: Edições Loyola, 1987.

FALCON, Francisco Jose Calazans. A época pombalina política econômica e monarquia ilustrada. São Paulo: Ática, 1993.

FARGE, Arlette. Penser et définir l’événement en histoire. Terrain, Paris, n. 38, mar. 2002.

FOUCAULT, Michel. A vida dos homens infames. In: FOUCAULT, Michel. Estratégia, poder-saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. p. 203-221. (Ditos e Escritos IV).

FOUCAULT, Michel. Do governo dos vivos. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2014a.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOUCAULT, Michel. Entrevista com Michel Foucault. In: FOUCAULT, Michel. Genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014b. p. 13-34. (Ditos e Escritos IX).

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FOUCAULT, Michel. Subjetividade e verdade. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2016.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

FRANÇA, José Augusto. A reconstrução de Lisboa e a arquitectura pombalina. Lisboa: Instituto de Cultura Portuguesa, 1978.

FRANÇA, José Augusto. Lisboa pombalina e o iluminismo. Lisboa: Horizonte, 1965.

FRANCO, José Eduardo. O “terramoto” pombalino e a campanha de “desjesuitização” de Portugal. Lusitania Sacra, Lisboa, v. 18, p. 147-218, ago. 2016.

FREIRE, Francisco José. Memorias das principaes providencias, que se deraõ no terremoto, que padeceo a Corte de Lisboa no anno de 1755, ordenadas, e offerecidas à Majestade Fidelissima de Elrey D. Joseph I. Nosso Senhor. Lisboa, 1758.

GAZETA DE LISBOA. Lisboa: officina de Manoel Soares, n. 45, p. 7, 6 nov. 1755a.

GAZETA DE LISBOA. Lisboa: officina de Manoel Soares, n. 46, p. 9, 13 nov. 1755b.

GONZALBO, Fernando Escalante. Voltaire mira el terremoto de Lisboa. Cuadernos hispoamericanos, Madri, n. 600, p. 69-82, 2000.

HERNÁNDEZ MARCOS, Maximiliano. Un texto de Immanuel Kant sobre las causas de los terremotos, 1756. Cuadernos Dieciochistas, Salamanca, v. 6, p. 43-77, nov. 2005.

HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

LEAL, Augusto Soares D’Azevedo Barbosa de Pinho. Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chronographico, heráldico, archeologico, historico, biográfico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal. v. II. Lisboa: Livraria Editora de Mattos Moreira & Companhia, 1874.

LOUSADA, Maria Alexandre. The police and the uses of urban space. Lisbon, 1780-1830. Apontamentos de Geografia, Lisboa, Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa. 2003.

MALAGRIDA, Gabriel. Juizo da verdadeira causa do terremoto, que padeceo a corte de Lisboa no primeiro de novembro de 1755. Lisboa: Officina de Manoel Soares, 1756.

MARQUES, João Francisco. A acção da Igreja no terramoto de Lisboa de 1755: ministério espiritual e pregação. Lusitania Sacra, Lisboa, v. 18, p. 219-329, ago. 2016.

MENDONÇA, Joachim Joseph Moreira de. História universal dos terremotos que tem havido no mundo, de que ha noticia, desde a sua creação até o seculo presente... Lisboa: Officina de Antonio Vicente da Silva, 1758.

MIDÕES, Miguel. Comunicação de crise no terramoto de 1755. Biblioteca online de ciências da comunicação. 2009. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/midoes-miguel-comunicacao-da-crise-noterramoto .pdf. Acesso em: 15 jul. 2018.

MURY, Paul. Historia de Gabriel Malagrida da Companhia de Jesus, apostolo do Brazil no seculo XVIII estrangulado e queimado no Largo do Rocio de Lisboa aos 21 de setembro de 1761. Lisboa: Livraria Editora de Mattos Moreira & Cia, 1875.

NOGUERA-RAMÍREZ, Carlos E. Pedagogia e governamentalidade ou Da Modernidade como uma sociedade educativa. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

PEDEGACHE, Miguel Tibério. Nova, e fiel relaçaõ do terremoto, que experimentou Lisboa, e todo o Portugal no dia 1º de novembro de 1755. Lisboa: Officina de Manoel Soares, 1756.

RATTON, Jacome. Recordações de Jacome Ratton fidalgo calaveiro da caza real, sobre occurrencias do seu tempo em portugal, durante o lapso de sesenta e tres annos e meio, alias de maiop 1747 a setembro de 1810 que rezidio em lisboa acompanhadas de algumas subsequentes reflexonesns suas, para informaçoens de seus proprios filhos, com documentos no fim. Londres: H. Bryer, 1813.

ROLLO, Maria Fernanda (org.). História e ciência da catástrofe: 250º aniversário do terramoto de 1755. Lisboa: Edições Colibri, 2008.

SANCHES, António Nunes Ribeiro. Tratado de conservaçaô da saude dos povos, obra util e igualmente necessária a os magistrados, capitaens generais, capitaens de mar, e guerra, e pays de família: com hum apêndix consideraçoins sobre terremotos, com a noticia dos mais consideráveis, de que fas mençaô a historia, e dos ultimos que se sintiraô na Europa desde o 1 de Novembre de 1755. Paris/Lisboa: Bonardes e Du Beux, 1756.

SANTOS, Antonio Cesar de Almeida. Luzes em Portugal: do terremoto à inauguração da estátua equestre do Reformador. Topoi, Rio de Janeiro, v. 12, n. 22, p. 75-95, jun. 2011.

SANTOS, Guilherme de Oliveira. O Processo dos Távoras. Lisboa: Livraria Portugal, 1979.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. A longa viagem da biblioteca dos reis: do terremoto de Lisboa à independência do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

SUBTIL, Carlos Lousada; VIEIRA, Margarida. Os Tratados de Polícia, fundadores da moderna saúde pública (1707-1856). Revista de Enfermagem Referência, n. 7, p. 179-187, 2012.

VEIGA-NETO, Alfredo. Governo ou governamento. Currículo sem fronteiras, v. 5, n. 2, p. 79-85, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';



====================================================================

REVISTA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO / HISTORY EDUCATION JOURNAL

QUALIS/CAPES 2016: Educação - A1 / Ensino - A1 / História - A2 / Interdisciplinar - A2 / Direito - A2 / Linguística e Literatura - B1 / Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo - B1

ISSN online: 2236-3459

E-mail: rhe.asphe@gmail.com

Facebook RHE

Twitter RHE 

Google + (Plus) 

Academia RHE

Linkedin RHE


INDEXADORES / INDEXERS

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras

Dialnet - Fundación Dialnet

Doaj - Directory of Open Access Journals

Educ@ Scielo FCC - Indexador online de periódicos na área da Educação

EZB - Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Electronic Journals Library)

Google Acadêmico - Google Scholar

Latindex - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal

LatinRev - Red Latinoamericana de Revistas Académicas en Ciencias Sociales y Humanidades

OEI - Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciência y la Cultura - Biblioteca Digital

Periódicos Capes - Portal de Periódicos Capes / MEC

PKP - Public Knowledge Project

Qualis Periódicos - Plataforma Sucupira

Redalyc - Sistema de Información Científica Redalyc / Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal

Redib - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico

Scielo - Scientific Electronic Library Online

Scopus - Abstract and citation database of peer-reviewed literature: scientific journals, books and conference proceedings

SJR - Scimago Journal & Country Ranking

Sumários.org - Sumários de Revistas Brasileiras

 

PATROCINADORES / SPONSORS

Associação Sul-Rio-Grandense de Pesquisadores em História da Educação - Asphe

Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC/RS

Universidade Federal de Pelotas - UFPel

Universidade de Caxias do Sul - UCS

Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI

 

AGÊNCIAS DE FOMENTO

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes