Lutando com a arte contra experiências autoritárias

Walace Rodrigues

Resumo


Esse texto trata sobre a arte de guerrilha brasileira enquanto forma de contestação político-social durante o período ditatorial brasileiro (1964-1985). Tomamos três obras de arte do período para mostrar os mecanismos de ação de tais trabalhos artísticos. Tais obras são dos artistas Cildo Meireles, Artur Barrio e Hélio Oiticica. Os resultados desse trabalho mostram a eficácia crítico-reflexiva das obras de arte de guerrilha e sua força questionadora perante os espectadores/participantes de tais obras, instigando ações durante momentos e experiências autoritárias.

Abstract

This text deals with the Brazilian guerrilla art as a form of political-social protest during the Brazilian dictatorial period (1964-1985). We took three works of art from this period to show the mechanisms of action of such artworks. These works are by artists Cildo Meireles, Artur Barrio and Hélio Oiticica. The results of this work show the critical-reflexive efficacy of the guerrilla artworks and their questioning force towards the spectators/participants of such works, instigating actions during authority moments and experiences.


Palavras-chave


Arte de guerrilha. Cildo Meireles. Artur Barrio. Hélio Oiticica

Texto completo:

PDF-PT

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó, SC: Argos, 2009.

BRASIL, Assis. Dicionário do conhecimento estético. Rio de Janeiro : Editora Tecnoprint S.A., 1984.

CALIRMAN, Claudia. Brazilian Art under Dictatorship. USA: Duke University Press, 2012.

CAYSES, Julia Buenaventura Valencia de. Isto não é uma obra: Arte e ditadura. IN: Estudos avançados. São Paulo, volume 28, número 80, pág. 115-128, 2014.

FREITAS, Artur. CONTRA-ARTE: vanguarda, conceitualismo e arte de guerrilha - 1969-1973. Tese apresentada ao Programa do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal do Paraná - PPGHIS/SCHLA/UFPR. Curitiba, 2007.

HERZOG, Hans-Michael. Conversa com Cildo Meireles, Rio de Janeiro, 14 de abril de 2006. IN: Seduções. Catálogo da exposição Daros. Zurich: Hatje Cantz, 2006.

MELIM, Regina. Performance nas artes visuais. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

PIGNATARI, Décio. O que é comunicação poética. 10a ed. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2011.

RODRIGUES, Walace. Arte de guerrilha no Brasil ditatorial: O caso das produções de Cildo Meireles e Hélio Oiticica pela via filosófica de Giorgio Agamben. IN: Palíndromo. Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais, Universidade do Estado de Santa Catarina, número 8, pág. 99-114, 2012.

RODRIGUES, Walace. Desconstruindo Discursos de Diferença na Escola. IN: Educação & Realidade. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, número 2, volume 42, pág. 687-706, abr./jun. 2017.

RODRIGUES, Walace. “Seu olhar alimenta meu vício”: Pichação urbana enquanto arte de guerrilha. IN: Fermentário. Instituto de Educación, Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, Universidad de la República, Uruguai, número 9, volume 2, pág. 1-13, 2015.

RODRIGUES, Walace. Trabalhando com arte de guerrilha no Ensino Superior: Uma experiência do pensar e agir criticamente. Revista Didática Sistêmica. Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande, número 1, volume 15, pág. 69-83, 2013.

SELBACH, Simone (sup. geral). Arte e didática. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.87513

Direitos autorais 2019 Walace Rodrigues

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo