O desenvolvimento e o entrelaçamento entre bibliografia, bibliometria e política no Brasil

Giulia Crippa

Resumo


Esse artigo visa estudar o percurso e o estado atual dos estudos bibliográficos no Brasil, com base na proposição de que a natureza da bibliografia, que a caracteriza em sentido disciplinar e crítico, não se limitam ao fato de ser uma enumeração de documentos ou de servir como esquema de sua realidade no sistema, mas deve servir também como mapa a ser consultado em relação aos mesmos. Para isso, foi necessário reconstituir o contexto histórico que permite a compreensão da relação entre políticas nacionais e políticas da informação ao longo do século XX. Descobrimos, dessa maneira, que as escolhas de investimentos que privilegiaram quase unicamente a pesquisa científico-tecnológica tornaram a bibliometria a forma privilegiada de estudo e aplicação bibliográfica no país pelo menos até os primeiros anos do século XXI. Nessa pesquisa, realizada pela indagação histórica das fontes, foram encontrados e tratados alguns dos grandes protagonistas dos processos de implantação das metodologias bibliográficas e bibliométricas, como Lydia Sambaquy e Edson Nery da Fonseca. Nossa hipótese é de que houve, desde a época do Estado Novo, um entrelaçamento evidente e explícito entre as políticas nacionais voltadas para visões cientificistas de modernização e políticas de informação.


Palavras-chave


Bibliografia. Bibliometria. Lydia Sambaquy. Edson Nery da Fonseca. Políticas da Informação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19132/1808-5245250.14-38



Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)