O Prontuário Eletrônico de Paciente (PEP) como memória, patrimônio documental e cultural

Jorge Alberto Soares Cruz

Resumo


RESUMO

Este estudo tem como objetivo fornecer subsídios que contribuam para o estudo dos arquivos médicos e do prontuário de pacientes. Para tanto, aborda-se o tema Prontuário Eletrônico de Pacientes (PEP) como memória e patrimônio documental e cultural, e a preservação de documentos eletrônicos. A justificativa para esta proposta volta-se à importância do avanço da tecnologia na produção de documentos e à troca de informações em meio digital. Metodologicamente, realizou-se um levantamento bibliográfico, para maior familiaridade com o tema proposto: preservação de documentos, memória, patrimônio documental e cultura. Em um primeiro momento, discorre-se sobre o uso da tecnologia e a vulnerabilidade dos documentos digitais. Após, conceitua-se o Prontuário Eletrônico de Pacientes (PEP), procurando defendê-lo como patrimônio documental e cultural.

Palavras-chave


Arquivologia. Prontuário Eletrônico de Paciente (PEP). Memória. Patrimônio documental e Cultural

Texto completo:

PDF




Em Questão | ISSN 1808-5245 | EQ no Facebook | EQ no Google Scholar

Classificação Qualis: A2 - Comunicação e Informação; B2 - Ciências Ambientais; B3 - Administração, Ciências Contábeis e Turismo; B4 - Sociologia; B5 - Engenharias I.

Programa de Pós-graduação em Comunicação  | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705, sala 519 | CEP 90035-007 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone: (51) 3308 2141| E-mail: emquestao @ufrgs.br 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA)