AGENDA SOCIAL NA POLÍTICA EXTERNA DO GOVERNO LULA: OS CASOS DA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL PRESTADA PELO MDS E PELA ABC

Luciana Pazini Papi, Klei Medeiros

Resumo


O presente artigo visa a analisar a cooperação internacional prestada pelo Brasil através da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) durante o Governo Lula (2003-2010). Tratam-se de estudos de caso complementares que trazem uma visão tanto da atuação mais ampla do ABC, órgão que centraliza a cooperação internacional brasileira, quanto de um ministério específico, o MDS, que trabalha conjuntamente com a ABC em iniciativas de cooperação técnica na área social. A atuação da ABC têm cumprido um papel fundamental no sentido de compartilhar as técnicas e tecnologias sociais desenvolvidas a partir do know-how adquirido por órgãos e agências estatais atuando no Brasil (como a EMBRAPA, a SENAI, entre outras). Por outro lado, a cooperação técnica do MDS tem se mostrado uma prática extremamente relevante, por valer-se do compartilhamento de conhecimento diretamente entre aquela minoria que está envolvida com o processo de tomada de decisão em seus respectivos governos, podendo alterar o rumo de estratégias e táticas em prol do desenvolvimento de seus países. Durante o Governo Lula, a atuação de ambos os órgãos garante uma maior interdependência política, geração de afinidades ideológicas e teóricas e permitem o aprimoramento constante de políticas públicas promotoras do desenvolvimento no Sul Global.


Palavras-chave


Cooperação Sul-Sul; Política Externa Brasileira; Governo Lula; Políticas Sociais; ABC; MDS.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.54317

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS