A Guerra do Paraguai na historiografia brasileira: algumas considerações

ANDRÉ Mendes Salles

Resumo


Este artigo trata da historiografia brasileira relativa à Guerra do Paraguai. Consideramos as quatro versões predominantes nessa historiografia, quais sejam: a versão que se deu logo após a guerra, versão esta propagada pelo exército brasileiro (a historiografia memorialístico-militar-patriótica); a historiografia propagada pelos positivistas ortodoxos; o revisionismo das décadas de 1960/70/80, com destaque para León Pomer (1979; 1980) e Júlio Chiavenatto (1983); e a corrente interpretativa chamada por alguns estudiosos de neo-revisionismo, com destaque para Francisco Doratioto (2002). Demos ênfase às duas últimas historiografias, apreendendo, sobretudo, as questões relacionadas às causas do conflito, e ponderamos a historiografia neo-revisionista produzida pelo historiador Francisco Doratioto.


Palavras-chave


Guerra do Paraguai; Historiografia brasileira; Balanço historiográfico.

Texto completo:

PDF

Referências


BANDEIRA, Luiz Alberto Moniz. O papel do Brasil na Bacia do Prata (da colonização ao império). Tese (Doutorado em Ciência Política). Universidade de São Paulo, São Paulo, 1982.

BLOCH, Marc. Apologia da História, ou, O ofício do historiador. Tradução André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BOMFIM, Manoel. América Latina: Males de Origem. Rio de Janeiro: Topbooks, 1993.

______. O Brasil na América. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.

CERQUEIRA, Dionísio. Reminiscência da Campanha do Paraguai. (1865-1870). Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1980.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Tradução Maria de Lourdes Menezes; revisão técnica Amo Vogel. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1982.

CHIAVENATTO, Júlio José. Genocídio Americano: a Guerra do Paraguai. 18ª ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1983.

DORATIOTO, Francisco. A Guerra do Paraguai: 2ª Visão. São Paulo: Brasiliense, 1991.

______. História e ideologia: a produção brasileira sobre a

Guerra do Paraguai. In: Nuevo Mundo Mundos Nuevos [en línea], colóquios, 2009, puesto en línea el 13 janvier 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2009.

______. Maldita Guerra. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

______. Nova luz sobre a guerra do Paraguai. Revista Nossa História, Rio de Janeiro, Ano 2, n. 13, 2004, p.18-23.

DUARTE, Paulo de Queiróz. Os voluntários na guerra do Paraguai. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1981.

GALEANO, Eduardo. As veias abertas da América Latina. Tradução Galeano de Freitas, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

GASPARI, Élio. A Ditadura derrotada: o sacerdote e o feiticeiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

______. A Ditadura encurralada: o sacerdote e o feiticeiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

______. A Ditadura envergonhada: as ilusões armadas. São Paulo: Companhia das Letras, 2002ª.

______. A Ditadura escancarada: as ilusões armadas. São Paulo: Companhia das Letras, 2002b.

MAESTRI, Mário. A guerra contra o Paraguai: História e historiografia: da instauração à restauração historiográfica [1871-2002]. Nuevo Mundo Mundos Nuevos [en línea], colóquios, 2009, puesto en línea el 27 mars 2009. Disponível em: . Acesso em: 15 de março de 2010.

______. A guerra no papel: história e historiografia da guerra do Paraguai (1864-1870). Passo Fundo: PPGH/UPF, Editora FCM, 2013.

MARQUES, Maria Eduarda Castro Magalhães (org.). A Guerra do Paraguai: 130 depois. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1995.

MENDES, Raimundo Teixeira. A Guerra do Paraguai. Rio de Janeiro: Edição J. B. Leal, 1920.

MENEZES, Alfredo da Mota. Guerra do Paraguai. Como construímos o conflito. São Paulo: Contexto; Cuiabá, MT: Editora da Universidade Federal do Mato Grosso, 1998.

_____. A Guerra é nossa: a Inglaterra não provocou a Guerra do Paraguai. São Paulo: Contexto, 2012.

MOTA, Carlos Guilherme. A Guerra contra o Paraguai: a História de um silêncio. In: MARQUES, Maria Eduarda Castro Magalhães (org.). A Guerra do Paraguai: 130 depois. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1995, p. 37-50.

POMER, León. A Guerra do Paraguai: a grande tragédia rio-platense. Tradução Yara Peres. São Paulo: Global, 1980.

______. Os conflitos da Bacia do Prata. Tradução Luiz Roberto Seabra Malta. São Paulo: Brasiliense, 1979.

PRADO JÚNIOR, Caio. Evolução Política do Brasil: Colônia e Império. São Paulo: Brasiliense, 2006.

______. Formação do Brasil contemporâneo: Colônia. São Paulo: Brasiliense, 2004.

______. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1973.

SALLES, André Mendes. A Guerra do Paraguai na literatura didática. Um estudo comparativo. Dissertação (Mestrado em História). João Pessoa, Universidade Federal da Paraíba, 2011.

SQUINELO, Ana Paula. A Guerra do Paraguai, essa desconhecida...ensino, memória e história de um conflito secular. Campo Grande: UCDB, 2002.

TORAL, André. Imagens em desordem: a iconografia da guerra do Paraguai (1864-1870). São Paulo: Humanitas FFLCH USP, 2001.

WHITE, Hayden. Enredo e verdade na escrita da História. In: MALERBA, Jurandir (org.). A História escrita: teoria e história da historiografia. São Paulo: Contexto, 2006, p.191-210.




DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.49957