DIALÉTICA DO ACONTECIMENTO SEDIMENTAR NO LITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

Eurípedes Falcão Vieira

Resumo


A plataforma atlântica sul rio-grandense com marcos referenciais em Torres, ao norte, e Chuí, ao sul, configura uma conformação litorânea (622 km/180 km) onde está presente a diversidade hídrica e sedimentar construída ao longo do tempo geológico (estruturação) e o tempo geográfico (transformação). A dinâmica sedimentar da área costeira a coloca na categoria transicional de formas imersas, emersas, pisos e lâminas d’água. Em cada um desses táxons há funcionalidades geográficas específicas, interagindo de forma sistêmica. Particularmente, no interesse deste estudo, será analisada a importância da presença de uma área estuarina na laguna dos Patos e sua interconexão com a margem oceânica costeira pela barra do Rio Grande. Há eventos costeiros tipo condicionados à presença do estuário, como os de natureza deposicional quer sob a forma de sedimentos finos quer sob a forma de vasas – barro de praia. Será considerada, também, a presença mais ao sul de um dos maiores estuários da superfície terrestre, o estuário da Prata.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1678-3484 - Qualis: História B3 - Planejamento Urbano B5 - Ciências Sociais Aplicadas B4 - Letras B2. Contato: revistaihgrgs@ufrgs.br