INTERNACIONALIZAÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA: ASSIMETRIAS, HETEROGENEIDADE E PODER

Cristine Gorski Severo, Charlott Eloize Leviski

Resumo


Este artigo aborda as políticas, discursos e práticas envolvendo a internacionalização da língua portuguesa no mundo a partir de uma perspectiva crítica. Para tanto, inicialmente, apresentamos um panorama sobre a situação linguística de alguns países cuja língua oficial é a portuguesa – Angola, Moçambique, Timor Leste, Cabo Verde e Guiné-Bissau –, apontando para a heterogeneidade e as assimetrias que envolvem as línguas e seus falantes nesses contextos. Em seguida, discorremos sobre algumas políticas institucionalizadas – CPLP e governos brasileiro e português – envolvendo a difusão e normatização do português. Por fim, apontamos para as relações de poder que envolvem as práticas e discursos de internacionalização da língua portuguesa que, de forma geral, têm priorizado alguns em detrimentos de outros, ressonando uma matriz lusófona colonial.  


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.90747

Direitos autorais 2019 Cristine Gorski Severo, Charlott Eloize Leviski

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

E-ISSN: 22388915 / ISSN Impresso: 0102-6267

LICENÇA

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

INDEXADORES

  

     

   

 

           Imagen relacionada

   

Flag Counter