ENSINAR E APRENDER EM TEMPOS DA PANDEMIA COVID-19

Autores

  • Cidália de Fátima Carvoeiras Nobre Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo
  • Miguel Ângelo Nobre Guerreiro Mestrando em Engenharia Biomédica. Instituto Superior Técnico. Lisboa, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.54909/sp.v4i2.108896

Resumo

Este texto oferece uma reflexão sobre a importância do ensinar e aprender em tempos da pandemia COVID-19, já que as escolas tiveram de se adaptar à nova realidade e a interação estabelecida no processo de ensino e aprendizagem, até aqui desenvolvida na sala de aula presencial, precisou ser transposta para os meios digitais através do designado ensino remoto de emergência. Estas alterações conduziram à prática reflexiva, ao reconhecimento da importância do feedback dos vários intervenientes e à importância da escuta ativa, ou seja, não escutar somente as palavras dos alunos, mas também a sua comunicação não-verbal, possibilitando compreender a totalidade da mensagem dos mesmos. 

Palavras-chave: Ensino. Aprendizagem. Pandemias. COVID-19. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cidália de Fátima Carvoeiras Nobre, Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo

Enfermeira Especialista. Doutorada em Enfermagem. Coordenadora do Núcleo de Educação Permanente em Enfermagem - Serviço de Formação e Investigação da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo - Beja, Portugal.

Departamento em Enfermagem. Professora Adjunta convidada na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Beja-Portugal.

Professora Adjunta convidada na Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches do Instituto Politécnico da Lusofonia-Lisboa-Portugal.

Miguel Ângelo Nobre Guerreiro, Mestrando em Engenharia Biomédica. Instituto Superior Técnico. Lisboa, Portugal.

Mestrando em Engenharia Biomédica. Instituto Superior Técnico. Lisboa, Portugal.

Referências

ALARCÃO, I. Reflexão crítica sobre o pensamento de Schon e os programas de formação de professores.

Revista da Faculdade de Educação, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 11-42, jul./dez. 1996. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-25551996000200002. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rfe/article/view/33577/36315. Acesso em: 11 dez. 2020.

BEHAR, P. A. O ensino remoto emergencial e a educação à distância. UFRGS - Jornal da Universidade, Porto Alegre, jul. 2020. Disponível em:

https://www.ufrgs.br/jornal/o-ensino-remoto-emergencial-e-a-educacao-a-distancia/. Acesso em: 11 dez. 2020.

BORDENAVE, J. D.; PEREIRA, A. M. Estratégias de ensino-aprendizagem. 12. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 1991.

JESUS, S. Bem-estar dos professores: estratégias para realização e desenvolvimento profissional. Porto: Porto Editora, 1998.

LAZURE, H. Viver a relação de ajuda: abordagem teórica e prática de um critério de competência de enfermeira. Lisboa: Lusodidacta, 1994. p. 7-22.

MELO, A. L. C. F. A. Ser professora em tempo de pandemia - (Covid –19). In: ALVES, J. M.; CABRAL, I. (ed.). Ensinar e aprender em tempo de COVD-19: entre o caos e a redenção. Porto: Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa, 2020. p. 18-23. Disponível em:

http://www.fep.porto.ucp.pt/sites/default/files/files/FEP/SAME/Ebook_Ensinar_e_aprender_em_tempos_de_COVID_19.pdf?fbclid=IwAR1pMseP7ccWmCL4iashdgRwJGKxcfFPYUELc--kLU5PyrUkpydo74YTLEA. Acesso em: 11 dez. 2020.

MOREIRA, J. A. M.; HENRIQUES, S.; BARROS, D. Transitando de um ensino remoto emergencial para uma educação digital em rede, em tempos de pandemia. Dialogia, São Paulo, n. 34, p. 351-364, jan./abr. 2020. DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.n34.17123. Disponível em: https://doi.org/10.5585/Dialogia.N34.17123. Acesso em: 11 dez. 2020.

PHANEUF, M. Comunicação, entrevista, relação de ajuda e validação. Loures: Lusociência, 2005. p. 22-92.

Downloads

Publicado

2020-12-28

Como Citar

NOBRE, C. de F. C.; GUERREIRO, M. Ângelo N. ENSINAR E APRENDER EM TEMPOS DA PANDEMIA COVID-19. Saberes Plurais: Educação na Saúde, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 6–10, 2020. DOI: 10.54909/sp.v4i2.108896. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/saberesplurais/article/view/108896. Acesso em: 12 ago. 2022.