Uso de Estilos de Aprendizagem em Ambientes Educacionais Ubíquos

Autores

  • Rafael Araújo UFU
  • Fabiano Dorça UFU
  • Renan Cattelan UFU
  • Cíntia Santos Escola Municipal de Educação Infantil Líria Emília Saraiva

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-1916.99540

Palavras-chave:

Ambientes Educacionais Ubíquos, Estilos de Aprendizagem, FSLSM.

Resumo

As práticas pedagógicas têm sido constantemente melhoradas e alteradas com o auxílio de aparatos tecnológicos para alavancar o processo de ensino-aprendizagem. Com sistemas computacionais ubíquos e inteligentes, é possível criar mecanismos para que as individualidades dos estudantes possam ser levadas em consideração e, ainda, para permitir que os professores conheçam as características da turma e de seus alunos de forma mais rápida e dinâmica. Este artigo apresenta a experiência dos autores com um ambiente educacional que utiliza uma abordagem probabilística do modelo de Estilos de Aprendizagem (EAs) de Felder e Silverman para adaptar o conteúdo aos estudantes. Os resultados mostraram diferenças de EAs nas disciplinas analisadas e reforçam a ideia de que não são características fixas do indivíduo que está em constante transformação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

ARAÚJO, R.; DORÇA, F.; CATTELAN, R.; SANTOS, C. Uso de Estilos de Aprendizagem em Ambientes Educacionais Ubíquos. Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 17, n. 3, p. 547–556, 2019. DOI: 10.22456/1679-1916.99540. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/99540. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Teorias educacionais aplicadas à TIC