A posição de docentes da educação básica acerca da militarização de escolas públicas em Goiás

Autores

  • Erlando da Silva Rêses Faculdade de Educação (FE) Universidade de Brasília (UnB) http://orcid.org/0000-0002-0308-1374
  • Weslei Garcia de Paulo Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEDF)

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol35n32019.96115

Palavras-chave:

Militarização da Educação, Profissão Docente, Controle Social

Resumo

Este texto apresenta uma pesquisa num colégio estadual de Valparaíso-GO. Os colégios da polícia militar do Estado de Goiás  atendem estudantes da Educação Básica e são fruto de uma parceira entre a secretaria de educação e a secretaria de segurança pública, iniciada em 1999 na cidade de Goiânia. Outras escolas de regiões periféricas e com alto índice de criminalidade receberam a implantação da militarização. O objetivo deste artigo foi saber a posição de docentes acerca deste modelo de gestão escolar por meio de uma enquete por questionário e os resultados apresentaram a aprovação do modelo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Erlando da Silva Rêses, Faculdade de Educação (FE) Universidade de Brasília (UnB)

Doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB). É professor da Faculdade de Educação (FE) e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UnB (PPGE).  Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Materialismo Histórico-Dialético e Educação (CONSCIÊNCIA) da FE/UnB. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre o Trabalho (GEPT) do Departamento de Sociologia da UnB.  Autor, co-autor ou organizador das obras: De Vocação para Profissão: Sindicalismo Docente da Educação Básica no Brasil (Ed. Paralelo 15, 2015); Universidade e Movimentos Sociais (Ed. Fino Traço, 2015); Sociologia no Ensino Médio: Cidadania e Representações Sociais de Professores e Estudantes (Ed. Fino Traço, 2016); Educação de Jovens e Adultos Trabalhadores – Políticas e Experiências da Integração à Educação Profissional (Ed. Mercado de Letras, 2017) e Ciganidade e Educação Escolar - Saber Tradicional e Conflito Étnico (Tagore Editora, 2018).

 

Weslei Garcia de Paulo, Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEDF)

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Brasília (PPGE/ UnB). Graduado em Pedagogia pela Universidade Luterana do Brasil (2009). Especialista em Docência no Ensino Superior pela Faculdade Apogeu. Professor da Secretaria de Educação do Distrito Federal e do Instituto de Ciências Sociais e Humanas -ICSH - CESB.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Ideologia e Aparelhos Ideológicos do Estado. Lisboa: Editorial Presença,1980.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo Demográfico de 2016. IBGE, 2016. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 12 jul 2019.

BRASÍLIA. CODEPLAN. Anuário Estatístico do Distrito Federal. Brasília: CODEPLAN, 2007.

CERQUEIRA, D. et al. Atlas da Violência 2018. Rio de Janeiro: IPEA, Fórum Brasileiro de Segurança, 2018.

DE ARAÚJO, M. Mobilidade Social, Multiculturalismo ou Discriminação na Polícia Militar. Brasília: Fortium, 2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. 41ª ed. Petrópolis/RJ, 2014.

FRIGOTTO, G; GADOTTI, M.; ROMÃO, J. E. Autonomia da escola: princípios e propostas. São Paulo: IPF/Cortez, 1997.

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL (GDF). CODEPLAN. Pesquisa Metropolitana por Amostra de Domicílios (PMAD –2017/2018). Relatório Parcial (preliminar), 2018.

JAPPE, A. Violência, mas para quê? Tradução de Robson J.F de Oliveira. São Paulo, SP: Hedra, 2013.

LINS, Ivan. M. de B. Positivismo no Brasil. Rio de Janeiro. Editora Brasiliana, 1964.

MANNHEIM, K. Sociologia Sistemática: uma introdução ao estudo da sociologia. 2ª Ed. São Paulo: Pioneira, 1971.

OLIVEIRA, Dijaci David de. As escolas militares: o controle, a cultura do medo e da violência. In: OLIVEIRA, I. C.; SILVA, V. H. V. de F. (orgs.). Estado de Exceção Escolar: uma avaliação crítica das escolas militarizadas. Aparecida de Goiânia: Escultura produções editoriais, 2016. p. 41-51.

RÊSES, Erlando da Silva; SILVA, Luis Alves da. Universidade de Brasília e Movimentos Sociais na periferia da Metrópole: parceria no Entorno Sul do DF. In: RÊSES, Erlando da Silva (org.). Universidade e Movimentos Sociais. 1. ed.Belo Horizonte, MG: Fino Traço, 2015a. p. 87-115

RÊSES, Erlando da Silva. De Vocação para Profissão: Sindicalismo Docente da Educação Básica no Brasil. Brasília: Paralelo 15, 2015b.

VICENTINI, Cláudia. Corpo fardado: adoecimento mental e psíquico na Polícia Militar goiana. Goiânia: Editora UFG, 2014.

WERNECK, Jurema. O Samba Segundo as Ialodês: mulheres negras e a cultura midiática. Tese de Doutorado em Comunicação e Cultura, Universidade Federal do Rio de Janeiro, . 2007.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

Rêses, E. da S., & de Paulo, W. G. (2019). A posição de docentes da educação básica acerca da militarização de escolas públicas em Goiás. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 35(3), 700. https://doi.org/10.21573/vol35n32019.96115

Edição

Seção

Dossiê: Militarização da Escola Pública