POLÍTICAS PÚBLICAS E LINGUÍSTICAS: ESTRATÉGIAS E DESAFIOS NO COMBATE ÀS DESIGUALDADES SOCIAIS EM MOÇAMBIQUE

Alexandre António Timbane, José Gil Vicente

Resumo


O mundo democrático em que a maioria dos países africanos se inseriu têm criado problemas ao invés de solucionar, que afetam diretamente é população. Moçambique possui um Estado novo porque alcançou a independência em 1975 e passou por 5 processos eleitorais. A maioria desas eleições não são reconhecidos pela oposição. A pesquisa visa discutir a influência das políticas públicas e linguísticas na vida dos moçambicanos e mostrar caminhos possíveis para uma política que atenda os interesses da população. Usando um método bibliográfico e buscando pesquisadores que discutem as políticas públicas e políticas linguísticas se chegou à conclusão de que há necessidade de envolver a sociedade (no sentido verdadeiro da palavra) na tomada de decisões e na resolução dos problemas sociais. Concluiu-se que o português é a língua oficial, mas ao mesmo tempo segrega uma maioria que não é alfabetizada. Precisamos discutir formas de ultrapassar as diferenças linguísticas e sociais criando assim, um ambiente são e com harmonia.


Palavras-chave


Políticas públicas; Políticas linguísticas; Moçambique; Democracia.

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2448-3923.75794

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Estudos Africanos (RBEA)

e-ISSN 2448-3923; ISSN 2448-3907

Publicação do CEBRAFRICA/UFRGS