Educação Patrimonial: Seria essa uma Via para Revitalizar a Diversidade Cultural?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1984-1191.121060

Palavras-chave:

Educação Patrimonial, Memória, Cultura, Pertencimento, Patrimônio Material e Imaterial

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão acerca da efetividade da atuação das educações patrimoniais a médio e longo prazo, abordando os desafios para a preservação da memória coletiva e a contribuição de educadores patrimoniais para a revitalização desse registro. Investigou-se, também, a possibilidade de inserção da comunidade local, com enfoque em ambientes informais, buscando compreender a relação da população local com suas heranças culturais, a fim de contribuir para o fortalecimento dessa relação, estimulando a responsabilidade pela valorização e preservação do Patrimônio e da memória coletiva. A partir destas compreensões, iniciou-se a imersão no municipio de Quevedos/RS em junho de 2019 para dar início à pesquisa. Buscou-se a interlocução entre etnografia e pesquisa ação, se estabelecendo, como resultado, a elaboração de um plano de ação, pautado na efetiva participação da população local em todo o processo, para, posteriormente, realizar oficinas, palestras e debates que contemplarão história oral, narrativas escritas e fotografias para abarcar a cultura local de maneira abrangente.

Palavras-chave: Educação patrimonial. Cultura. Memória. Pertencimento. Patrimônio imaterial e material.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joyce Rodrigues Macedo, Universidade Feevale

Mestra em diversidade culrural e inclusão social

Referências

BRASIL. Ministério da Cultura. Portaria nº 123, de 13 de dezembro de 2011. Estabelece as metas do Plano Nacional de Cultura – PNC. Brasília, DF, 2011. Disponível em: http://pnc.cultura.gov.br/wp-content/uploads/sites/16/2017/09/Metas-do-PNC.pdf. Acesso em: 20 nov. 2020.

BRASIL. Ministério da Cultura. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Portaria nº 137 de 28 de abril de 2016. Estabelece diretrizes de Educação Patrimonial no âmbito do Iphan e das Casas do Patrimônio. Brasília, DF, 2016.

Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/21512179/do1-2016-04-29-portaria-n-137-de-28-de-abril-de-2016-21512121. Acesso em 20 nov. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em 16 dez. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 3.924, de 26 de julho de 1961. Dispõe sobre os monumentos arqueológicos e pré-históricos. Brasília, DF, 1961. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1950-1969/l3924.htm. Acesso em: 01 dez. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 12.343, de 2 de dezembro de 2010. Institui o Plano Nacional de Cultura - PNC, cria o Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais - SNIIC e dá outras providências. Brasília, DF, 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12343.htm. Acesso em: 10 jan. 2021.

CATTO, Vinicius. Localização Município de Quevedos/RS. Novo Hamburgo, Feevale, 2021. 1 mapa, color. Escala 1:550.000.

CONSELHO INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS (ICOMOS). Carta de Burra. Burra/Austrália, ICOMOS, 1980. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Carta%20de%20Burra%201980.pdf. Acesso em: 01 dez. 2020.

CONSELHO INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS (ICOMOS). Carta de Lausanne. Lausanne/Suíça, ICOMOS, 1990. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Carta%20de%20Lausanne%201990.pdf. Acesso em: 01 dez. 2020.

COSTA, Nathalia Santos da. Representações e pedagogias culturais do patrimônio de Porto Alegre no projeto de ação educativa “Caixa de Memórias POA”. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós Graduação em Educação, Universidade Luterana do Brasil, Canoas, RS, 2016.

GEERTZ, Clifford. O Saber Local: Novos ensaios em antropologia Intrepretativa. Rio de Janeiro/RJ, Vozes, 1999.

HORTA, Maria de Lourdes Parreira. Lições das coisas: enigma e o desafio da Educação Patrimonial. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, n.31, p.220-233, 2005.

HORTA, Maria de Lourdes Parreira; GRUNBERG, Evelina; MONTEIRO, Adriane Queiroz. Guia básico de educação patrimonial. Brasília/DF, IPHAN; Museu Imperial, 1999.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN). I Fórum Nacional do Patrimônio Cultural. Iphan, Brasília, 21 out. 2009. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/2594/i-forum-nacional-do-patrimonio-cultural. Acesso em: 20 dez. 2020.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: Um conceito antropológico. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2001.

LEVI-STRAUSS, Claude. Raça e História. In: LEVI-STRAUSS, Claude. Antropologia Estrutural II. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1976. p. 328-366.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. A etnografia como prática e experiência. Horizontes antropológicos, Porto Alegre, v.15, n.32, p. 129-156, jul./dez. 2009.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 17, n. 49, p. 11-29, junho 2002.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. 3.ed. São Paulo, Editora Hucitec, 2003.

MATOS, Alexandre Pena. Educação patrimonial no contexto arqueológico: reflexões acerca das práticas educacionais. 2017. Tese (Doutado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2017.

MENESES, Ulpiano T. B. de. Arqueologia de Salvamento no Brasil: uma avaliação crítica. São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de São Paulo (USP), 1988.

MONTICELLI, Gislene. Deixe estar: patrimônio, arqueologia e licenciamentos ambientais. Porto Alegre, EDIPUCRS, 2010. 247 p. (Coleção Arqueologia, v. 8).

NUNES, Margarete Fagundes. “O Negro no Mundo Alemão”: Cidade, memória e ações afirmativas no tempo da globalização. Tese (Doutado em Antropologia Social) – Programa de Pós Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

NUNES, Margarete Fagundes; SCHIMIDT, Saraí Patrícia. Diversidade, conflitos sociais e direitos humanos. In: SANFELICE, Gustavo; BASSANI, Patrícia (Org.). Diversidade Cultural e Inclusão Social [recurso eletrônico]. Novo Hamburgo, Universidade Feevale, 2020. p. 60-72.

Disponível em: https://www.feevale.br/Comum/midias/c282198d-c482-4371-8683-f0e56c24d1f1/e-book%20Diversidade%20Cultural%20e%20Inclus%C3%A3o%20Social.pdf. Acesso em: 20 dez. 2020.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO). Conferência geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. 9 sessão. Nova Delhi, Unesco, 1956.

PORTAL G1. Em reunião ministerial, Bolsonaro relata como agiu no Iphan após queixa de empresário apoiador. Portal G1, São Paulo, 23 mai. 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/05/23/em-reuniao-ministerial-bolsonaro-relata-como-agiu-no-iphan-apos-queixa-de-empresario-apoiador.ghtml. Acesso em: 01 mai. 2021.

RAGUSA, Pedro. A arqueologia do saber e a história. In: Congresso Internacional de História, 5., 21 a 23 set. 2011, Maringá. Anais... Maringá, UEM, 2011. p. 2731-2744.

ROCHA, Ana Luiza Carvalho da; ECKERT, Cornelia. A cidade e suas crises, o patrimônio pelo viés da memória: Por que e como preversar o passado?. Habitus, Goiania, v. 4, n. 1, p 455-470, jan./jun. 2006.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa ação. São Paulo/SP, Cortez, 1986.

WAGNER, Roy. A Invenção da cultura. São Paulo, UBU Editora, 2017

WAGNER, Roy. A invenção da cultura. [Entrevista cedida a] Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas. FAPEAM, Manaus, 19 ago. 2011. Disponível em: http://www.fapeam.am.gov.br/tv-fapeam/norte-americano-destaca-a-contribuicao-brasileira-para-a-antropologia/. Acesso em: 19 out. 2020.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2022-04-28

Como Citar

MACEDO, J. R.; FAGUNDES NUNES, M. . Educação Patrimonial: Seria essa uma Via para Revitalizar a Diversidade Cultural?. ILUMINURAS, Porto Alegre, v. 23, n. 60, 2022. DOI: 10.22456/1984-1191.121060. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/article/view/121060. Acesso em: 30 set. 2022.