Avaliação da economia gerada por meio das intervenções farmacêuticas realizadas em um hospital universitário terciário de grande porte

Autores

  • Tiago Arantes Divisão de Farmácia do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). São Paulo-SP. http://orcid.org/0000-0003-3542-7197
  • Cilene Cristina Durval Divisão de Farmácia do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). São Paulo-SP http://orcid.org/0000-0001-6784-015X
  • Vanusa Barbosa Pinto Divisão de Farmácia do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). São Paulo-SP http://orcid.org/0000-0002-7463-5266

Palavras-chave:

Prescrição de medicamentos, Serviço de farmácia hospitalar, Cuidados críticos, Assistência farmacêutica, Farmacoeconomia

Resumo

Introdução: A farmácia clínica tem como objetivo garantir uma farmacoterapia adequada ao paciente. A avaliação de prescrição é uma das principais atividades do farmacêutico clínico, o que pode resultar em intervenções e economia para a instituição, além de promover o uso racional e seguro de medicamentos. O objetivo deste estudo foi avaliar a economia gerada por meio das intervenções realizadas pelos farmacêuticos clínicos durante o processo de avaliação farmacêutica de prescrição. Métodos: Estudo transversal, observacional e analítico, onde foi analisada a economia gerada através das intervenções realizadas pelos farmacêuticos no período entre janeiro e julho de 2017. Resultados: Foram realizadas 3.033 intervenções no período do estudo e 943 foram incluídas. O valor da economia gerada foi de R$ 72.648,39 (US$ 23.134,95), sendo as intervenções mais frequentes relacionadas à adequação de apresentação (847) e forma farmacêutica (44). Dentre os medicamentos cujas intervenções farmacêuticas resultaram em maior economia, estão a anfotericina B lipossomal (R$ 18.919,75), a daptomicina (R$ 8.575,00), o valganciclovir (R$ 7.452,00) e a anidulafungina (R$ 7.422,35). Algumas intervenções não resultaram em economia direta do tratamento medicamentoso, como ocorreu com a risperidona comprimido (− R$ 264,04) e o sulfametoxazol+trimetoprima comprimido (− R$ 208,62), que foram substituídos por solução oral para administração por sondas. Conclusão: O estudo demonstrou que a atuação do farmacêutico clínico resultou na efetivação de intervenções relacionadas à adequação de dose, correção de diluição, alteração de apresentação, substituição de forma farmacêutica, adequação de tempo de tratamento e a adesão aos protocolos institucionais. Essas intervenções refletiram diretamente na redução de custo dos tratamentos, otimizando recursos e gerando economia ao serviço de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago Arantes, Divisão de Farmácia do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). São Paulo-SP.

Coordenador do Serviço de Farmácia Clínica da Divisão de Farmácia do Instituto Central

Cilene Cristina Durval, Divisão de Farmácia do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). São Paulo-SP

Residente em Assistência Farmacêutica Hospitalar e Clínica

Vanusa Barbosa Pinto, Divisão de Farmácia do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). São Paulo-SP

Diretora da Divisão de Farmácia do Instituto Central

Downloads

Publicado

2021-02-03

Como Citar

1.
Arantes T, Durval CC, Pinto VB. Avaliação da economia gerada por meio das intervenções farmacêuticas realizadas em um hospital universitário terciário de grande porte. Clin Biomed Res [Internet]. 3º de fevereiro de 2021 [citado 27º de setembro de 2022];40(2). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/95646

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)