Discrepâncias entre os registros de prontuário acerca da farmacoterapia de pacientes pediátricos com fibrose cística

Autores

  • Mônica Lopes Tonello Faculdade de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.
  • Stella Pegoraro Alves Programa de Pós Graduação em Assistência Farmacêutica, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – PPGASFAR/UFRGS. Porto Alegre, RS, Brasil.
  • Márcia de Azevedo Frank Seção de Farmácia Clínica, Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Porto Alegre, RS, Brasil.
  • Denise Bueno Programa de Pós Graduação em Assistência Farmacêutica, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – PPGASFAR/UFRGS. Porto Alegre, RS, Brasil.

Palavras-chave:

Reconciliação de medicamentos, fibrose cística, segurança do paciente, erros de medicação

Resumo

Introdução: Discrepâncias nos registros eletrônicos de medicamentos são frequentes e podem levar a erros relacionados a medicamentos. O objetivo deste estudo foi analisar as discrepâncias entre os registros médicos e farmacêuticos da terapia medicamentosa de pacientes com fibrose cística de um ambulatório multidisciplinar de pneumologia infantil do Sul do Brasil

Métodos: Estudo transversal com coleta de dados retrospectiva através de prontuário eletrônico de pacientes que foram atendidos no ambulatório de um centro de referência para Fibrose Cística entre maio e junho de 2016. Os registros médicos e farmacêuticos foram comparados e as discrepâncias quantificadas e classificadas.

Resultados: Foram analisados 81 registros de consultas ambulatoriais de 76 pacientes. Oitenta medicamentos constavam nos registros, sendo os mais frequentes polivitamínicos, enzimas pancreáticas, dornase alfa, ácido ursodesoxicólico e solução salina hipertônica. Foram identificadas discrepâncias em 96% dos registros, totalizando 245 discrepâncias, entre elas omissões de medicamentos no registro farmacêutico (102) e no médico (80), além de doses (41) e regimes terapêuticos (23) diferentes. Foram observadas omissões de dose no registro farmacêutico (63) e no médico (52) e omissões de regime (11) em ambos.

Conclusão: A elevada taxa de discrepâncias corrobora com os resultados de diversos estudos. A conciliação tem o objetivo de promover o uso racional e diminuir os erros relacionados a medicamentos, podendo ser realizada de maneira sistematizada. A avaliação da qualidade do uso de medicamentos pode ser feita através da utilização de indicadores, sendo as discrepâncias um indicador sensível para este objetivo.

Palavras chave: Reconciliação de medicamentos; fibrose cística; segurança do paciente; erros de medicação

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-09-29

Como Citar

1.
Lopes Tonello M, Pegoraro Alves S, de Azevedo Frank M, Bueno D. Discrepâncias entre os registros de prontuário acerca da farmacoterapia de pacientes pediátricos com fibrose cística. Clin Biomed Res [Internet]. 29º de setembro de 2017 [citado 5º de dezembro de 2022];37(3). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/73121

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>