Fibrose Cística e Terminalidade

Autores

  • Maria do Carmo da Rocha Laurent HCPA
  • Nair Ritter Ribeiro HCPA
  • Helena Becker Issi HCPA

Palavras-chave:

Fibrose cística, doente terminal, enfermagem pediátrica, família

Resumo

A Fibrose Cística (FC) é uma doença sistêmica e progressiva, que apesar do tratamento, ainda  leva os pacientes à morte. Esta realidade expressa a necessidade de uma abordagem diferenciada diante de um quadro de terminalidade, impondo que o cuidado dispensado possa garantir a autonomia e capacidade de tomar decisões, requerendo dos cuidadores a defesa de seus direitos e uma assistência adequada. Muitas são as demandas de cuidado nesta fase do paciente com FC e sua família, envolvendo aspectos psicobiológicos, psicossociais e psicoespirituais. Este relato procura descrever como  os enfermeiros percebem a necessidade de cuidado e realizam intervenções específicas, com o objetivo de atingir os melhores resultados para o paciente e sua família, no domínio funcional, fisiológico e psicossocial. Destaca-se a aceitação do estado de saúde, melhora no enfrentamento, término da vida com dignidade, bem estar do cuidador e o apoio da família durante o tratamento, como alguns resultados de enfermagem abordados. Na fase da terminalidade a equipe interdisciplinar precisa trabalhar de forma coesa, trocando informações, discutindo casos e compartilhando responsabilidades. A enfermagem percebe que o cuidado integral é imprescindível, para possibilitar uma morte digna ao paciente e uma adequada atenção à sua família.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-07-29

Como Citar

1.
Laurent M do C da R, Ribeiro NR, Issi HB. Fibrose Cística e Terminalidade. Clin Biomed Res [Internet]. 29º de julho de 2011 [citado 4º de fevereiro de 2023];31(2). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/20855

Edição

Seção

Seção de Bioética

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)