DOENÇA DE WILSON COM SINAL DA “FACE DO PANDA GIGANTE” NA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE ENCÉFALO

Autores

  • Clarice Gabardo Ritter Serviço de Medicina Interna, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Porto Alegre, RS, Brasil.
  • Carlos Roberto de Mello Rieder Ambulatório de Distúrbios do Movimento, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Porto Alegre, RS, Brasil. Programa de Pós-graduação em Medicina - Ciências Médicas. Porto Alegre, RS, Brasil.

Palavras-chave:

doença de Wilson, ressonância magnética, sinal da “face do panda”, anel de Kayser-Fleischer

Resumo

A Doença de Wilson (DW), é uma desordem hereditária de transmissão genética
autossômica recessiva, que altera o metabolismo hepático do cobre e ocasiona seu acúmulo em órgãos e tecidos. Embora alterações na Ressonância Magnética de Encéfalo (RM) não façam parte dos critérios diagnósticos as mesmas podem ser sensíveis para detectar alterações em pacientes com a doença. Os autores descrevem o caso de uma paciente de 22 anos com manifestações neurológicas progressivas cujo diagnóstico de DW foi suspeitado pelas manifestações clínicas associadas ‘as anormalidades na RM. Paciente apresentava alterações no putamen, caudato e tálamo além do chamado sinal do “face do panda gigante” no mesencéfalo. Um sinal considerado característico da DW.
Unitermos: doença de Wilson, ressonância magnética, sinal da “face do panda”, anel de Kayser-Fleischer

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-02-07

Como Citar

1.
Ritter CG, Rieder CR de M. DOENÇA DE WILSON COM SINAL DA “FACE DO PANDA GIGANTE” NA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE ENCÉFALO. Clin Biomed Res [Internet]. 7º de fevereiro de 2020 [citado 29º de novembro de 2022];26(1). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/100363

Edição

Seção

Relatos de Casos