Imagens, vozes e identidade nas práticas artísticas latino-americanas

Autores

  • Gisele Ribeiro Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

DOI:

https://doi.org/10.22456/2179-8001.136205

Palavras-chave:

Práticas artísticas latino-americanas, Vozes, Espaço da aparência, Identidade

Resumo

A partir de uma posição crítica, com relação à importância que o visual assume tanto na esfera pública política geral quanto no domínio específico da arte, o artigo discute o modo como as identidades se estruturam sob perspectivas coloniais, sexuais e de gênero, em um espaço público conformado à noção arendtiana de espaço da aparência. Enquanto muitas artistas feministas propõem uma articulação de suas práticas com uma crítica da visualidade, investindo em produções sonoras e textuais – como Narcisa Hirsch, Rubiane Maia e Gloria Camiruaga –, em paralelo, feministas negras vêm destacando a potência das vozes e da fala ao enfrentar opressões interseccionalizadas. Interessa aqui uma aproximação entre a dimensão política da arte, produzida recentemente na América Latina, e discussões levantadas por teorias políticas no que se refere às produções de identidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Idéologie et appareils idéologiques d’État. (Notes pour une recherché). In: Positions (1964-1975). Paris: Les Éditions Sociales, 1976.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

BARTHES, Roland. The Death of the Author. In: Aspen Magazine, núm. 5/6, 1967.

BAUDRY, Jean-Louis. Cinema: efeitos ideológicos produzidos pelo aparelho de base. In: XAVIER, Ismail (org.). A experiência do cinema. Rio de Janeiro/São Paulo: Edições Graal, 2003.

BETA, Andy. Blood and Echoes: The Story of Come Out, Steve Reich’s Civil Rights Era Masterpiece (28 de abril de 2016). In: Pitchfork. Chicago, EUA: Condé Nast. Disponível em https://pitchfork.com/features/article/9886-blood-and-echoes-the-story-of-come-o ut-steve-reichs-civil-rights-era-masterpiece/. Acesso em 20 de junho de 2022.

BUTLER, Judith. Discurso de ódio: uma politica do performativo. São Paulo: Ed. Unesp, 2021.

BUTLER, Judith. Meramente cultural. Tradução Aléxia Bretas. In: Idéias. Campinas: IFCH – Unicamp, v.7, n.2, p. 227-248, jul/dez. 2016.

CALHOUN, Craig (ed.). Social Theory and the Politics of Identity. Massachussetts/Oxford: Blackwell, 1994.

CLIFFORD, James. Taking Identity Politics Seriously: “The Contradictory, Stony Ground...”. In: GILROY, P.; GROSSBERG, L.; MCROBBIE, A. Without Guarantees: In Honour of Stuart Hall. London / New York: Verso, 2000.

DEUTSCHE, Rosalyn. Agorafobia. In: Arte&Ensaios. Revista do PPGAV – EBA-UFRJ, Rio de Janeiro, no 36, 2018.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Trad. Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor?. In: Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. Col. Ditos & Escritos, vol. III. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas da justiça numa era “pós-socialista”. In: Cadernos de campo, São Paulo, n. 14/15, 2006.

FREIRE, Cristina; LONGONI, Ana (org.). Conceitualismos do Sul / Sur. São Paulo: Annablume, 2009.

GALINDO, María. No se puede descolonizar sin despatriarcalizar. Teoría y propuesta de la despatriarcalización. La Paz, Bolívia: Mujeres Creando, 2013.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

HIRSCH, Narcisa. Narcisa Hirsch – Postgrado (2017). In: Seminario del Programa de Maestria en Cines de America del Sur del Departamento de Artes Audiovisuales – UNA. Universidad Nacional de las Artes. Buenos Aires, Argentina: Canal DA Online. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=isRxTNqyYU4. Acesso em 20 de julho de 2022.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LEMEBEL, Pedro. “La venda”, un video de Gloria Camiruaga (o dar vuelta la página, hacer como que nada, soñar como que nunca). Columna El país de Lemebel (2 de junho de 2000). In: Revista Punto final, n. 473, Santiago de Chile, junho de 2000 Año XXXIV. Disponível em http://www.puntofinal.cl/000616/artetxt.html. Acesso em 30 de novembro de 2020.

LORDE, Audre. As ferramentas do senhor nunca derrubarão a casa-grande (1979). In: Irmã Outsider: ensaios e conferências. Belo Horizonte: Autêntica, 2020.

MAIA, Rubiane. Antes que eu esqueça (2014). In: Cargocollective.com. Disponível em https://cargocollective.com/rubianemaia/antes-que-eu-esqueca. Acesso em 20 de junho de 2022.

MARCHÁN FIZ, Simón. Del arte objetual al arte de concepto. Las artes desde 1960. Madrid: Alberto Corazon Editor, 1974.

MARCHART, Olivier. El pensamiento político posfundacional: la diferencia política en Nancy, Lefort, Badiou y Laclau. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2009.

MBEMBE, Achille. Crítica da Razão Negra. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

MOUFFE, Chantal; LACLAU, Ernesto. Hegemonia e estratégia socialista: por uma

política democrática radical. São Paulo: Intermedios, 2014.

MOUFFE, Chantal. Prácticas artísticas y política democrática en una era pospolítica. In: Prácticas artísticas y democracia agonística. Barcelona: MACBA/UAB, 2007.

MULVEY, Laura. Prazer Visual e Cinema Narrativo. In: XAVIER, Ismail (org.). A Experiência do Cinema: antologia. 4a Edição. São Paulo: Graal. 2008.

PRECIADO, Paul B..Manifesto Contrassexual: práticas subversivas de identidade sexual. Trad. Maria Paula Gurgel Ribeiro. São Paulo, n-1 edições, 2017.

RAMIREZ, Mari Carmen. Circuitos das heliografias: arte conceitual e política na América Latina. In: Arte&Ensaios. Revista do PPGAV – EBA. Rio de Janeiro: EBA/UFRJ, ano VIII, no 8, 2001.

RAMIREZ, Mari Carmen. Táticas para viver da Adversidade. O conceitualismo na América Latina. In: Arte&Ensaios. Rio de Janeiro: EBA/UFRJ, ano XIV, no 15, 2007.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017. RICHARD, Nelly. Arte, fuga de identidad y disidencia de códigos. In: Feminismo,

Género y Diferencia. Santiago do Chile: Palinodia, 2008.

RICHARD, Nelly. Feminismo e desconstrução: novos desafios críticos. In: Intervenções

críticas: arte, cultura, gênero e política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2002.

RICHARD, Nelly. Multiplicar la(s) diferencia(s): género, política, representación y deconstrucción. In: Hegemonía cultural y políticas de la diferencia. Buenos Aires: CLACSO, 2013.

SPIVAK, Gayatri C. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2010.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-10-15

Como Citar

Ribeiro, G. (2023). Imagens, vozes e identidade nas práticas artísticas latino-americanas. PORTO ARTE: Revista De Artes Visuais (Qualis A2), 27(48). https://doi.org/10.22456/2179-8001.136205

Edição

Seção

DOSSIÊ: Exercícios do Político na Imagem Contemporânea

Categorias