Mulheres, Arte e espaço público: uma reflexão sobre o ativismo artístico feminino

Autores

  • Rafael Santos Câmara Universidade Federal da Bahia
  • Juliana Mendonça Lopes Universidade Federal da Bahia.
  • Marina Ferreira Belo Lopes Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.22456/2179-8001.123769

Palavras-chave:

Cidade, Arte pública, Mulheres, Talitha Andrade, Karen Dolorez

Resumo

Resumo

 A Arte no espaço público tem exercido impacto na paisagem urbana apresentando-se como um motivo de união e cisão, simultaneamente. Essas escritas nos muros carregam, em sua maioria, a denúncia de problemas vivenciados nas grandes cidades. Sendo, portanto, esta análise o caminho necessário para observarmos onde estamos, como também, onde queremos e podemos chegar, visto que os problemas da vida urbana perpassam de diferentes formas pelas fronteiras da relação dialética entre a subjetividade dos moradores e as diferentes intervenções no espaço público. Partimos de uma reflexão sobre a aproximação da mulher nas expressões artísticas urbanas, em um ambiente de rivalidade (e potencial hostilidade), o que torna tais intervenções fundamentais para a saúde psíquica das mulheres nos âmbitos individuais e coletivos exemplificando por meio da análise dos trabalhos de Talitha Andrade e Karen Dolorez, que questionam a condição da mulher a partir de um discurso rico em simbologias históricas e sociais.


Abstract

The Art in public spaces has had a significant impact on the urban landscape presenting itself as a motive of union and division simultaneously. These writings on the walls carry the denunciation of problems experienced in the big cities. Therefore, this analysis is the necessary way to observe where we are, as well as where we want and can reach, since the problems of urban life permeate in different ways by the borders of the dialectic relationship between the subjectivity of the residents and the different interventions in space public. We start from a reflection on the approximation of women in urban artistic expressions, in an environment of rivalry (and potential hostility), which makes such interventions fundamental to the psychic health of women in individual and collective settings exemplifying through the analysis of the works of Talitha Andrade and Karen Dolorez who question the condition of women through a discourse rich in historical and social symbologies.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Santos Câmara, Universidade Federal da Bahia

Arquiteto e Urbanista pela Universidade Salvador (2016). Mestrando pelo Programa Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal da Bahia e bolsista CAPES.

Juliana Mendonça Lopes, Universidade Federal da Bahia.

Psicóloga pela Faculdade Ruy Barbosa. Arteterapeuta pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal da Bahia.

Marina Ferreira Belo Lopes, Universidade Federal da Bahia

Mestranda na linha da história e teoria da arte do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFBA. Desenvolve pesquisa sobre memória feminina e artes têxteis na arte contemporânea. Graduada em design pela UFPE.  

Referências

ANDRADE, P.; MARQUES, C. A.; BARROS, José da Cunha (Coord.) Arte Pública e Cidadania: Novas leituras da cidade criativa. Sintra: Caleidoscópio, 2010.

ARENDT, Hannah. A condição Humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

CARVALHO, Vânia Carneiro de. Gênero e artefato: o sistema doméstico na perspectiva da cultura material - São Paulo, 1870-1920. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/Fapesp, 2008.

CESAR JUNIOR, Vitor. Artista é público. Dissertação (Mestrado em Poéticas Visuais) - Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

CHEVALIER, Jean; CHERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: Mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, imagens e números. 28 ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2015.

HABERMAS, Jürgen. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. 2003 (1983).

KWON, M. One place after another: site-specific art and locational identity. Massachusetts: MIT Press. 2004.

PERROT, Michelle. Práticas da Memória Feminina. In: Revista Brasileira de História. São Paulo, v.9, n.18, p.13 ago/set 1989.

PERROT, Michelle. Minha História das Mulheres. São Paulo: Editora Contexto, 2009.

LEFÈBVRE, Henri. A Revolução Urbana; Trad. Sergio Martins. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004.

PARANAGUÁ, J.f.. A arte na rua: resgate de intervenções artísticas em Salvador, 1ª ed. Salvador: Pinaúna, 2017.

SANTOS, M. Por uma Geografia Nova. São Paulo : Hucitec. 1978. SANTOS, M. O Espaço Dividido. Rio: Francisco Alves, 1979.

VALENTE, C. A Street Art no feminino. O lugar da mulher na Arte Pública. Dissertação (Dissertação em Cultura e Comunicação) - Universidade de Lisboa, Lisboa. 2016

WIESNER-HANKS, Merry E. Women and Gender in Early Modern Europe. EUA: Cambridge, 2000.

WOODMAN, Marion. A virgem grávida: um processo de transformação psicológica. Trad. Maria Silva Mourão Neto. Ed.: Paulus, 1ª ed., 1999.

Arquivos adicionais

Publicado

2021-12-22

Como Citar

Câmara, R. S., Lopes, . J. M. ., & Lopes, M. F. B. . (2021). Mulheres, Arte e espaço público: uma reflexão sobre o ativismo artístico feminino. PORTO ARTE: Revista De Artes Visuais, 26(46). https://doi.org/10.22456/2179-8001.123769

Edição

Seção

Artigo e Ensaio | Article and Essay