Philippe Starck e a apropriação de conceitos da arte para o design

Autores

  • Sérgio Luciano da Silva Universidade do Estado de Minas Gerais http://orcid.org/0000-0003-4379-339X
  • Rita Aparecida da Conceição Ribeiro Universidade do Estado de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.22456/2179-8001.123713

Palavras-chave:

Teoria e crítica do design, Filosofia, Ontologia, Arte, Estética

Resumo

O artigo concentra-se na ação de Philippe Starck, enquanto um designer que incorpora, de modo singular, conceitos e elementos da arte em sua prática projetiva. As análises são baseadas nas narrativas e entrevistas de Starck em cotejo com as interpretações de alguns de seus interlocutores (o designer Andrea Branzi, a historiadora do design Judith Carmel-Arthur, a jornalista e crítica de arte Cristina Morozzi e o filósofo Michel Onfray). A partir da identificação de ambiguidades e contradições em seus argumentos, dialogamos com conceitos do históriador do design Rafael Cardoso e dos filósofos Arthur Danto, Vilém Flusser e Virginia Figueiredo, procurando compreender estratégias e intenções, explicitas e implícitas, nos discursos de Starck. O objetivo é avaliar a distância entre essas intenções e suas soluções de projeto, assim como os desdobramentos para o design e as retroalimentações entre esse campo e a arte.

 

Abstract

The paper focuses on Philippe Starck's action, as a designer who uniquely incorporates concepts and elements of art in his projective practice. The analyzes are based on Starck's narratives and interviews in comparison with the interpretations of some of his interlocutors (designer Andrea Branzi, design historian Judith Carmel-Arthur, journalist and art critic Cristina Morozzi and philosopher Michel Onfray). From the identification of ambiguities and contradictions in his arguments, we dialogue with concepts of the design historian Rafael Cardoso and the philosophers Arthur Danto, Vilém Flusser and Virginia Figueiredo, trying to understand strategies and intentions, explicit and implicit, in Starck's speeches. The objective is to assess the distance between these intentions and their design solutions, as well as the developments for design and the feedbacks between this field and art.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Luciano da Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais

Pós-doutorado em curso (UEMG).  Mestrado e Doutorado em Design (UEMG). Graduação e Especialização em Filosofia (UFMG). Pesquisador dos grupos do CNPq Design e Representações Sociais e-grafia: estudos da escrita. Sócio do escritório de design Adaequatio Estúdio de Criação (2000-2016), onde atuou como diretor de arte, arte-finalista e produtor gráfico, especialmente em projetos Editoriais, Expográficos, de Identidade Corporativa e de Sinalização. Pesquisador e professor na Escola de Design (UEMG-BH, 2013-2017) e na Escola de Direito (UEMG-Diamantina, 2018-2019). Professor no Programa de Pós-graduação da Escola de Design (PPGD-UEMG-BH, 2020-atual). Suas pesquisas avançam em duas linhas. ESTUDOS DA ESCRITA: elaboração de conceitos multiescrita no design tipográfico, em suas matrizes grega, latina, cirílica e hebraica, em consonância com a caligrafia medieval e a tipografia renascentista. TEORIA E CRÍTICA DO DESIGN: fundamentação filosófica e metafísica do design a partir da ontologia, e em relação à estética, teoria do conhecimento (gnoseologia) e epistemologia, com ênfase nas interações do design com a arte, a ciência, e a tecnologia.

Rita Aparecida da Conceição Ribeiro, Universidade do Estado de Minas Gerais

Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Design da Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais. Líder do grupo de pesquisa do CNPq Design e Representações Sociais, pesquisadora do Centro de Pesquisa Design & Representações Sociais, co-coordenadora do Grupo de Pesquisa Diseño y Geografia Política, da Universidad de Palermo, Argentina. Graduada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1984) e Mestre em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000). É doutora em Geografia (2008) pela UFMG.Tem experiência Design e Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: design e representações sociais envolvendo os processos de consumo, culturas urbanas, audiovisual, design emocional e divulgação científica.

Referências

CARDOSO, Rafael. Design, Cultura material e o fetichismo dos objetos. Arcos Design, v. 1, n.1, p. 14-39. Rio de Janeiro, 1998.

CARMEL-ARTHUR, Judith. Phillipe Starck. Tradução Luiz Antônio Araújo. São Paulo: Cosac & Naify, 2000.

DANTO, Arthur C. A transfiguração do lugar-comum: uma filosofia da arte. Tradução Vera Pereira. São Paulo: Cosac & Naify, 2005.

DANTO, Arthur C. O mundo da arte. Tradução Rodrigo Duarte. Artefilosofia: Revista de Estética e Filosofia da Arte do Programa de Pós-graduação em Filosofia - UFOP Preto, n.1, p.13-25, jul. 2006.

FIGUEIREDO, Virginia. Isto é um cachimbo. Kriterion: Revista de filosofia v. 46, n.112, p. 442 - 457, dez. 2005. Disponivel em: <http://www.scielo.br/pdf/kr/v46n112/v46 n112a24.pdf> Acesso em: 07 ago. 2019.

FINDELI, Alain. Will design ever become a science? epistemological and methodological issues in design research, followed by a proposition. In: No guru, no method? Discussion on Art and Design Research. STRANDMAN, Pia. Helsink: Research Institute University of Art and Design Helsinki UlAH, 1998.

FLUSSER, Vilém. The shape of things: a philosophy of design. London: Reaktion Books Ltd., 1999.

FLUSSER, Vilém. O mundo codificado: por uma filosofia do design e da comunicação. Tradução Raquel Abi-Sâmara. São Paulo: Cosac & Naify, 2007.

FRY, Tony. The origin of the work of design: Thoughts based on a reading of Martin Heidegger’s “The origin of the work of art”. Design Philosophy Papers, Volume 12, Issue 1, p. 11–22, 2014.Disponível em: <http://dx.doi.org/10.2752/144871314X14012672861973> Acesso em: 19 mar. 2022.

GALLE, Per. Philosophy of design: an editorial introduction. Design Studies, Volume 23, Issue 3, p. 211-218, 2002. Disponível em: <https://doi.org/10.1016/S0142-694X(01)00034-5> Acesso em: 19 mar. 2022.

GUILLAUME, Valérie. Scritti su Starck. Milano: Postmedia Books, 2004.

LATOUR, Bruno. “A Cautious Prometheus? A Few Steps Toward a Philosophy of Design (With Special Attention to Peter Sloterdijk)”. In: HACKNE, F.; GLYNNE, J.; MINTO, V. (eds.). Proceedings... The 2008 Annual International Conference of the Design History Society. Falmouth, 3-6 September 2009, e-books, Universal Publishers, pp. 2-10.

MOROZZI, Cristina. Philippe Starck. Coleção Folha Grandes Designers. Tradução Anna Quirino. 1ª edição. São Paulo: Folha de São Paulo, 2012.

PLATÃO. A república. Introdução, tradução e notas Maria Helena da Rocha Pereira. 5ª edição. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1987.

STARCK, Philippe. Starck. Cologne: Taschen, 2000.

VIAL, Stéphane. Philosophy applied to design: a design research teaching method. Design Studies, Volume 37, p. 59-66, 2015. Disponível em: <https://doi.org/10.1016/j.destud.2014.12.006> Acesso em: 19 mar. 2022.

WILLIS, Anne-Marie. Ontological Designing. Design Philosophy Papers, Volume 4, Issue 2, p. 69-92 , 2006. Disponível em: <https://doi.org/10.2752/144871306X13966268131514> Acesso em: 19 mar. 2022.

Arquivos adicionais

Publicado

2021-12-27

Como Citar

Silva, S. L. da, & Ribeiro, R. A. da C. (2021). Philippe Starck e a apropriação de conceitos da arte para o design. PORTO ARTE: Revista De Artes Visuais, 26(46). https://doi.org/10.22456/2179-8001.123713

Edição

Seção

Artigo e Ensaio | Article and Essay