RECEITAS ELEITORAIS: DA TEORIA CONTÁBIL À PRÁTICA

Autores

  • Jonatas Dutra Sallaberry UNB/UFPB/UFRN
  • Maria Ivanice Vendruscolo UFRGS
  • Luiz Fernando Rodrigues UNB

Palavras-chave:

Receitas, Eleições, Governador, Teoria contábil

Resumo

O estudo objetiva analisar as normas de gestão de recursos eleitorais e a captação dos recursos para as eleições a governador do Distrito Federal e de Alagoas em2010. Ametodologia utilizada foi o estudo exploratório-descritivo. Foram identificadas as principais orientações sobre a captação de recursos. Analisando o caso específico das campanhas eleitorais foi possível identificar que a principal espécie de recurso utilizada para arrecadação são as transferências eletrônicas, que representam 77%. Além disso, as doações são predominantemente originadas de pessoas jurídicas, em termos monetários, e de pessoas físicas em quantidade de doadores. Identificou-se a grande concentração de recursos entre os principais doadores, sendo que um único doador das campanhas contribuiu com aproximadamente 41% do montante dos recursos de toda a campanha para governador. A pesquisa também identificou que o montante investido pelos partidos e simpatizantes no estado de Alagoas foi maior do que no Distrito Federal, alcançando R$ 12,69 por habitante, ou R$ 19,48 por eleitor apto. Outro indicador da magnitude das receitas demonstra que o investimento realizado alcança menos de R$ 0,01 para cada R$ 1,00 do orçamento a ser gerido no estado durante o ano. Portanto, o estudo permitiu verificar o investimento realizado para cada candidato e evidenciar que o resultado das urnas passa pelo maior investimento financeiro nas campanhas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jonatas Dutra Sallaberry, UNB/UFPB/UFRN

Maria Ivanice Vendruscolo, UFRGS

Luiz Fernando Rodrigues, UNB

Downloads

Publicado

2014-04-29

Como Citar

SALLABERRY, J. D.; VENDRUSCOLO, M. I.; RODRIGUES, L. F. RECEITAS ELEITORAIS: DA TEORIA CONTÁBIL À PRÁTICA. ConTexto - Contabilidade em Texto, Porto Alegre, v. 14, n. 26, 2014. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/ConTexto/article/view/43798. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos