ANÁLISE DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS DO INSTITUTO DE SEGURIDADE SOCIAL DOS CORREIOS E TELÉGRAFOS: UM ESTUDO DE DOIS CASOS NO PLANO BENEFÍCIO DEFINIDO SALDADO E POSTALPREV

Autores

  • Rita Kolling Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Rua Valmor Espíndola, 02 Bairro Ipiranga São José - SC CEP 88.111-410
  • Sergio Murilo Petri Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Centro Sócio Econômico - CSE Departamento de Ciências Contábeis - CCN Programa de Pós-Graduação em Contabilidade - PPGC Campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima Trindade - Florianópolis - SC - Brasil CEP: 88.040-900
  • Tatiane Oliveira Marques Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Rua Sady de Marco, 261-D Apto 202, Bloco II, Ed. Nova Zelândia. Jardim Itália Chapecó – SC CEP 89.802-280

Palavras-chave:

Previdência social, Previdência privada, Correios

Resumo

Este estudo analisa os fatores que levaram o Instituto de Seguridade Social dos Correios e Telégrafos (Postalis) a oferecer um novo modelo de plano de previdência privada complementar aos seus funcionários. Este estudo se caracteriza como descritivo, com abordagem qualitativa e a coleta dos dados foi realizada por meio de visitas ao Núcleo Regional de Santa Catarina, que está localizado no Centro Operacional e Administrativo dos Correios (COA), no período de junho de 2009 a novembro de 2010, e através do sítio na internet do fundo de pensão em questão. As simulações foram realizadas em setembro de 2010. Os dados referem-se a dois exemplos (funcionários) de aposentadoria por tempo de contribuição, um de cada plano, escolhidos de forma intencional, considerando datas de nascimento próximas. Pode-se concluir que o antigo plano oferecido aos funcionários tinha um recolhimento de valores inferiores aos valores que seriam pagos aos beneficiários quando de seu requerimento. Já o novo plano se mostra o oposto, pois possui taxas de descontos mais elevadas e garante que o pagamento do beneficio será menor que o valor recolhido durante o período contributivo do beneficiário, porém, proporciona benefícios com valores mais altos que o plano antigo. Enfim, a mudança do Plano de Beneficio Definido para o Plano de Contribuição Variável da ECT vem a seguir a tendência de muitas empresas de grande porte que já apresentaram déficits e mudaram de plano para reverter e ajustar essa situação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sergio Murilo Petri, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Centro Sócio Econômico - CSE Departamento de Ciências Contábeis - CCN Programa de Pós-Graduação em Contabilidade - PPGC Campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima Trindade - Florianópolis - SC - Brasil CEP: 88.040-900

Professor Doutor do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Tatiane Oliveira Marques, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Rua Sady de Marco, 261-D Apto 202, Bloco II, Ed. Nova Zelândia. Jardim Itália Chapecó – SC CEP 89.802-280

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Downloads

Publicado

2012-11-23

Como Citar

KOLLING, R.; PETRI, S. M.; MARQUES, T. O. ANÁLISE DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS DO INSTITUTO DE SEGURIDADE SOCIAL DOS CORREIOS E TELÉGRAFOS: UM ESTUDO DE DOIS CASOS NO PLANO BENEFÍCIO DEFINIDO SALDADO E POSTALPREV. ConTexto - Contabilidade em Texto, Porto Alegre, v. 12, n. 22, p. 75–85, 2012. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/ConTexto/article/view/27846. Acesso em: 27 nov. 2022.