Avaliação de duas doses de propofol para infusão contínua em pombos domésticos

Authors

  • Luciana Dambrósio Guimarães UFMT
  • Cláudio Corrêa Natalini HCPOA
  • Fabíola Niederauer Flores UDESC
  • Sheila Francheska Camargo
  • Simone Bopp Faculdade Integrado de Campo Mourão
  • Ney Luis Pippi UFSM

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-9216.15554

Keywords:

Anestesia, Aves, Infusão contínua

Abstract

O uso do propofol em aves tem sido pesquisado e parece ser uma alternativa viável à anestesia inalatória em algumas situações. Este estudo tem como objetivo avaliar os efeitos de duas doses de propofol para infusão contínua, administrado pela via intra-óssea, em pombos domésticos. Sete animais foram anestesiados em diferentes ocasiões. Inicialmente, a anestesia foi realizada com isofluorano em oxigênio, para introdução de uma agulha intra-óssea (acesso intra-ósseo). Após a recuperação, os animais foram anestesiados com propofol na dose necessária para permitir a intubação endotraqueal. Os pombos foram conectados a um sistema não reinalatório com fluxo de O

 

2 de 500 mL/min e a anestesia foi mantida com 1mg/kg/min (dose baixa) ou 3mg/kg/min (dose alta) de propofol por 30 minutos. Freqüência cardíaca, freqüência respiratória, pressão arterial sistólica indireta, temperatura cloacal, oximetria de pulso e gases sangüíneos arterial foram mensurados antes da indução da anestesia e aos 15 e 30 minutos do período de manutenção. A dose necessária para indução anestésica foi de 14.49± 2,91 mg/kg. A dose baixa de propofol produziu acidose respiratória e hipotensão. Ocorreram movimentos espontâneos e cinco dos sete animais foram extubados devido a anestesia superficial. A dose alta de propofol resultou em hipotensão, hipotermia e apnéia, necessitando de ventilação artificial. Devido ao uso da ventilação manual, a dose alta de propofol produziu valores mais altos de pH e mais baixos de PaCO2. O tempo de extubação com a dose baixa foi de 16,33±12,42 minutos (n=2) e de 52,33 ± 22,37 minutos (n=7) com a dose alta. Baseado nestes resultados recomenda-se que o propofol seja utilizado com cautela em pombos domésticos.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Luciana Dambrósio Guimarães, UFMT

Cláudio Corrêa Natalini, HCPOA

 

 

Centro de Pesquisas Experimentação Animal. Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS.

Fabíola Niederauer Flores, UDESC

 

 

Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Sheila Francheska Camargo

 

 

Médica Veterinária Autônoma.

Simone Bopp, Faculdade Integrado de Campo Mourão

 

 

Faculdade Integrado de Campo Mourão.

Ney Luis Pippi, UFSM

 

 

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Published

2018-06-27

How to Cite

Guimarães, L. D., Natalini, C. C., Flores, F. N., Camargo, S. F., Bopp, S., & Pippi, N. L. (2018). Avaliação de duas doses de propofol para infusão contínua em pombos domésticos. Acta Scientiae Veterinariae, 34(3), 325–329. https://doi.org/10.22456/1679-9216.15554

Issue

Section

Short Communication

Most read articles by the same author(s)

> >>