Anfotericina B: uma revisão sobre suas diferentes formulações, efeitos adversos e toxicidade

Diego Rodrigues Falci, Alessandro Comaru Pasqualotto

Abstract


A incidência de infecções fúngicas invasivas tem aumentado, como consequência do contingente cada vez maior de pacientes com imunossupressão. O tratamento de infecções fúngicas com anfotericina B (AmB) está associado a efeitos adversos importantes, como nefrotoxicidade e toxicidade hematológica. Nesta revisão buscou-se abordar os estudos sobre AmB nas diferentes formulações, focando em suas características farmacológicas e toxicidade. Formulações lipídicas de AmB estão associadas a um risco menor de nefrotoxicidade, entretanto ainda há controvérsia sobre diferenças entre as duas formulações lipídicas de AmB disponíveis. Diferenças em relação ao perfil imunomodulatório e ligação a lipoproteínas podem explicar parte das diferenças clínicas existentes entre as formulações de AmB. A maioria dos estudos clínicos que avaliou a nefrotoxicidade associada à AmB em diferentes formulações não utilizou critérios validados para classificação do dano renal, o que dificulta sua comparação. A toxicidade hematológica relacionada ao uso de AmB é um fenômeno descrito desde os primórdios do seu uso clínico, entretanto poucos dados existem sobre sua frequência, fatores de risco e impacto nos desfechos clínicos. Dados precisos, e adequados ao contexto local, sobre a toxicidade de AmB nas suas diferentes formulações são necessários para uma adequada avaliação dos aspectos de farmacoeconomia e custo-efetividade.

Keywords


anfotericina B; micoses; toxicidade; anemia; lesão renal aguda



Copyright (c)



ISSN: 2357-9730 

http://seer.ufrgs.br/hcpa/

 

 

Apoio Financeiro:

 


Licença Creative Commons
The Clinical & Biomedical Research is licenced under Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.