Finitude, “Frequentação do Mundo” e Formação Humana em Michel de Montaigne

Rosana Silva de Moura

Resumo


O artigo propõe pensar a formação humana a partir
de alguns aspectos da filosofia de Michel de Montaigne que nos são dados
no texto clássico Ensaios. Inicialmente apresenta-se um desenho da época
renascentista, chão de sua perspectiva antropológica, marcada pela importância
do homem no mundo. Tendo por base uma hermenêutica dos ensaios
montaigneanos, interpreta-se a ideia de finitude e de frequentação
postas pelo autor enquanto elementos fundantes de seu horizonte filosófico.
A contribuição da filosofia da educação de Michel de Montaigne aponta,
justamente, para o caráter aberto e inconclusivo (e, por isso, rico) da vida,
da formação humana e da educação.


Palavras-chave


Michel de Montaigne. Finitude. “Frequentação do Mundo”. Formação Humana. Filosofia da Educação.

Texto completo:

Acesso ao artigo


Direitos autorais

Educação & Realidade - ISSN 0100-3143 (impresso) e 2175-6236 (online)

 

Licença Creative Commons
Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Apoio e Indexação:

LATINDEX

 

Crossref Similarity Check logo