Para uma semiótica sensível

Autores

  • Eric Landowski

Palavras-chave:

estesis, estética, semiótica.

Resumo

A reflexão sobre o estatuto da significação na experiência estética conduz a rechaçar a concepção herdada da tradição que consiste em opor a sensação à cognição. No quadro da semiótica, a tentativa de ultrapassar essa visão dualista não supõe a invenção de uma nova problemática “do sensível”, vista como oposta à “do inteligível”, mas exige um esforço para tornar a própria semiótica mais sensível. Com esse objetivo, explora-se as pistas abertas pela última obra de A.J. Greimas, Da imperfeição. À concepção da experiência estética como encontro providencial e efêmero é contraposta a idéia de uma aprendizagem do sentido estésico dos objetos mediante processos graduais de ajuste às qualidades sensíveis dos elementos com os quais o sujeito interage, quer se trate de obras de arte, de outros sujeitos, ou ainda das coisas mais ordinárias que compõem o meio ambiente da vida cotidiana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eric Landowski

Eric Landowski é diretor de pesquisa no Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS), em Paris. No Brasil, é professor visitante permanente na Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica da PUC-SP e diretor do Centro de Pesquisas Sociossemióticas (CPS).

Arquivos adicionais

Publicado

2010-03-22

Como Citar

Landowski, E. (2010). Para uma semiótica sensível. Educação &Amp; Realidade, 30(2). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/12417

Edição

Seção

Artigos