Estudo da prevalência de cistos odontogênicos de desenvolvimento

Onofre Francisco de QUADROS, Clélea de Oliveira CALVET

Resumo


O objetivo desse trabalho foi o de verificar a prevalência dos cistos odontogênicos de desenvolvimento diagnosticados no Laboratório de Patologia da Faculdade de Odontologia da Universidae Federal do Rio Grande do Sul. Foram analisados casos de cistos odontogênicos de desenvolvimento, que possuíam informações completas em sua ficha de biópsia com relação a idade, sexo e localização anatômica, em pacientes atendidos no período de 1979 a 1999. Dos 276 casos da amostra, 212 (76,8%) eram cistos dentígeros, 55 (19,9%) ceratocistos odontogênicos, 5 (1,8%) cistos de erupção, 3 (1,1%) cistos periodontais laterais e 1 (0,4%) cisto gengival dos adultos. Observou-se que a faixa etária mais freqüente foi a 3ª década de vida, correspondendo a 36% da amostra. Quanto ao sexo, constatou-se uma equivalência de freqüência, não havendo relação estatisticamente significante nos casos estudados. Com relação à localização anatômica, a mandíbula foi a região mais prevalente, representando 67% da amostra.

Palavras-chave


Cistos; Cistos odontogênicos; Prevalência

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2177-0018.7715