O Devir Artista: a obra além da própria obra. Entrevista com Túlio Pinto.

Felipe Bernardes Caldas, Túlio Pinto

Resumo


A preocupação entre como a arte e os artistas dialogam com os sistemas
produtivos não é recente, data ao menos desde o século XIX. Muitos argumentos surgiram deste interesse, assim como atribuições funcionais ao papel da arte e do artista. Como os artistas dialogam, partilham ou tensionam o atual sistema produtivo capitalista, que estaria centrado na informação, na imaterialidade, na fusão entre trabalho e vida? A entrevista com Túlio Pinto fornece uma plataforma reflexiva para pensarmos o que significa trabalhar com arte em diálogo entre o local e o global, os sistemas, os mercados e os circuitos em que a arte contemporânea e seus agentes estão inseridos e percorrem.

Palavras-chave


Sistema Artístico. Trabalho. Mercado. Arte Contemporânea.

Texto completo:

PDF-PT

Referências


RANCIÈRE, Jacques. A Partilha do Sensível. São Paulo: 34, 2009.

CALDAS, Felipe Bernardes. O Campo Enquanto Mercado: um estudo sobre o cenário mercadológico de Porto Alegre (1990 – 2012). (dissertação de mestrado). PPGAV-UFRGS, 2013.




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.76569

Direitos autorais 2018 Felipe Bernardes Caldas, Túlio Pinto

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo