Igreja Católica e revolução na América Central – quebra de paradigma na Nicarágua

Fábio Régio Bento

Resumo


Nessa pesquisa verificaremos a influência da experiência nicaraguense na quebra do paradigma segundo o qual a religião e os atores religiosos estariam associados mais à conservação do staus quo do que à sua ruptura.

Segundo nossa hipótese de trabalho, na Nicarágua a religião não foi ópio do povo, usada para a sua anestesia social, mas promotora de mudanças sociais, e, pela difusão internacional dessa experiência, sobretudo, no âmbito de países socialistas, a aliança entre socialistas leigos e cristãos na Nicarágua, promoveu, também, a quebra do paradigma hermenêutico tradicional que reduzia a religião à condição permanente de ópio do povo.


Palavras-chave


Relações Internacionais; Religião; Marxismo; Teologia da Libertação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.59141

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS