FORMAÇÃO DE INTÉRPRETES E TRADUTORES DE LÍNGUA DE SINAIS NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS BRASILEIRAS: CONSTATAÇÕES, DESAFIOS E PROPOSTAS PARA O DESENHO CURRICULAR

Carlos Henrique Rodrigues

Resumo


Neste texto, apresentamos um panorama da formação de intérpretes e tradutores de Libras-Português nas Universidades Federais Brasileiras. Tomando como base os diferentes cursos de graduação, discutimos suas características, seus objetivos e suas propostas curriculares em termos de conteúdos disciplinares. A partir disso, considerando o conceito de Competência Tradutória e suas implicações para a Didática da Tradução, refletimos sobre quais seriam as características e os elementos de um desenho curricular adequado à formação de tradutores. Por fim, fazemos uma proposta que pode servir de orientação a uma possível atualização e aperfeiçoamento dos desenhos curriculares dos cursos de graduação que visam à formação de intérpretes e tradutores intermodais. Concluímos que o desenho curricular precisa incorporar os aspectos decorrentes da modalidade gestual-visual, assim como o conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para lidar com a transferência de aspectos linguísticos e textuais intrínsecos à modalidade.

Palavras-chave


Formação; Competência; Desenho Curricular

Texto completo:

PDF


ISSN eletrônico: 2236-4013


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribuition 3.0.


Indexadores: 


 

 

cariniana 2

 

TRANSLATIO
Instituto de Letras
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500, CEP 91540-000
Porto Alegre - RS
Email: translatio.ufrgs@gmail.com