Escola militar para quem? O processo de militarização das escolas na rede estadual de ensino do Piauí

Autores

  • Marina Gleika Felipe Soares Universidade Estadual do Piauí
  • Samara de Oliveira Silva Universidade Estadual do Piaui ANPAE -PI
  • Lucine Rodrigues Vasconcelos Borges de Almeida Secretaria Estadual de Educação do Piauí
  • Lucineide Maria dos Santos Soares Universidade Estadual do Piauí
  • Rosana Evangelsita da Cruz Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol35n32019.96132

Palavras-chave:

Educação Básica, Militarização das Escolas, Financiamento da Educação.

Resumo

Esse artigo objetiva analisar as condições para o acesso e permanência na escola militarizada, o padrão de qualidade, os recursos financeiros, pedagógicos, administrativos e de gestão investidos pela SEDUC-PI. Neste estudo, delineamos o processo de militarização das escolas da Educação Básica da Rede Estadual Pública do Piauí de 2015 até os dias atuais, caracterizando a primeira escola militar do Estado do Piauí, assim como denunciando o caráter antidemocrático dessa escola e, por fim, o Projeto de Lei nº 51 de 26/03/2019 de expansão da militarização que está tramitando na ALEPI. Os resultados apresentados evidenciam que o tratamento por parte da SEDUC-PI no processo de gestão e financiamento na escola militarizada é diferenciado, com investimento como “modelo” de um padrão de qualidade em detrimento das demais escolas da rede estadual de educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Gleika Felipe Soares, Universidade Estadual do Piauí

Professora da Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Possui graduação em Direito (2012) e Licenciatura Plena em Pedagogia (2014). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI) (2016) e Pesquisadora Colaboradora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais e Gestão da Educação - NUPPEGE da Universidade Federal do Piauí e do Grupo de Pesquisa E-RESISTÊNCIA: Grupo de Estudos e Pesquisas em Política, História, Formação e Diferenças na educação da Universidade Estadual do Piauí - UESPI. Vem atuando em pesquisas principalmente nos seguintes temas: Remuneração de Professores de Escolas Públicas de Educação Básica no Contexto do Fundef/ Fundeb e do PSPN; Financiamento da Educação Pública, com estudo nas áreas de Gestão e Políticas Educacionais. Membro do Comitê Piauí da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Samara de Oliveira Silva, Universidade Estadual do Piaui ANPAE -PI

Doutoranda em Educação - UNICAMP, Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia, Especialista em Psicologia da Educação e Mestre em Educação pela UFPI . Atualmente é professora da Universidade Estadual do Piauí, pesquisadora colaboradora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais e Gestão da Educação -NUPPEGE(UFPI), Núcleo de Estudos em Educação e Sociedade -NEPES/ UESPI e do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Polítias Educacionais(GREPPE - UNICAMP) . Vem atuando em pesquisas principalmente nos seguintes temas:Remuneração de Professores de Escolas Públicas de Educação Básica no Contexto do Fundef/ Fundeb e do PSPN; Financiamento da Educação Pública com o estudo nas áreas da gestão e Políticas educacionais. Foi Coordenadora do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da UESPI, coordenou o Programa de Iniciação Docência(PIBID-CAPES) - Campus Professor Alexandre Alves de Oliveira( Parnaíba-PI). Tem ministrado disciplinas na área de Fundamentos Políticos Administrativos da Educação; Militante da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e do Movimento Interfórum de Educação Infantil do Brasil(MIEIB -PI). Foi professora e coordenadora pedagógica da Educação Básica da Rede Estadual do Piauí e da rede municipal de Teresina no período de 2001 a 2012.

Lucine Rodrigues Vasconcelos Borges de Almeida, Secretaria Estadual de Educação do Piauí

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Maranhão UEMA(1988), é Pós-Graduada em Gestão Pública (2007). Professora da Rede Estadual do Estado do Piauí, atuando na gestão do Sinte-PI na Diretoria de Assuntos Municipais. Atualmente é pesquisadora colaboradora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais e Gestão da Educação -NUPPEGE da Universidade Federal do Piauí. Membro do Comitê Piuaí da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

 

Lucineide Maria dos Santos Soares, Universidade Estadual do Piauí

Possui graduação em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Estadual do Piauí (1998), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Piauí (2011). Atualmente é Professora assistente da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Doutoranda em Educação na Universidade de São Paulo/USP e pesquisadora colaboradora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais e Gestão da Educação -NUPPEGE da Universidade Federal do Piauí. Vem atuando em pesquisas principalmente nos seguintes temas: Financiamento da Educação Pública, Controle Social dos Recursos do FUNDEF/FUNDEB, Valorização dos Profissionais da Educação,Gestão Pública e políticas educacionais brasileira. Membro do Comitê Piauí da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

 

Rosana Evangelsita da Cruz, Universidade Federal do Piauí

Possui graduação em Pedagogia (1996) e Serviço Social (1989) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e mestrado (2002) e doutorado (2009) em Educação pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professora associada na Universidade Federal do Piauí e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Política e Gestão da Educação. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política Educacional, atuando principalmente com o tema gestão e financiamento da educação. Membro da rede de pesquisadores em financiamento da educação, do Observatório da Remuneração Docente e da Campanha Nacional pelo Direito à Educação. Direção Estadual da Associação Nacional de Política e Administração da Educação (gestão 2013/2014) e da Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação (gestão 2015/2017).

Referências

REFERÊNCIAS

BENEVIDES, Alesandra de Araújo; SOARES, Ricardo Brito. Diferencial de desempenho das escolas militares: Bons alunos ou boa escola? Disponível em: < https://www.bnb.gov.br/documents/160445/960917/DIFERENCIAL_DE_DESEMPENHO_DAS_ESCOLAS_MILITARES.pdf/7ae9ef81-9687-46cb-b501-766ccef1cba2>. Acesso em: 08 de jun. de 2019.

BRASIL. Decreto nº 9.465 de 2 de janeiro de 2019. Disponível em < http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/57633286>. Acesso em 08 jun. 2019.

______. Lei nº 9.394, de 24 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.presidencia.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm> Acesso em: 09 jun. 2019.

CAMPANHA NACIONAL PELO DIREITO À EDUCAÇÃO. Dossiê Militarização das Escolas no Brasil, 2018. Disponível em <http://campanha.org.br/acervo/?tax_tipo-de-acervo=conteudo-texto>. Acesso em 09 jun. 2019.

CNTE/ Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação. Escola militarizada mitiga a democracia e mascara falta de investimentos nas escolas. 2019. Disponível em: < https://www.cnte.org.br/index.php/comunicacao/noticias/20742-escola-militarizada-mitiga-a-democracia-e-mascara-falta-de-investimentos-nas-escolas.html>. Acesso em: 09 jun. 2019.

FRANCISCO, Severino. “Opinião: a diferença entre escola militar e militarização do ensino”. In: Correio Braziliense, Brasília, 13 de fevereiro de 2019. Disponível em: < https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/eu-estudante/ensino_educacaobasica/2019/02/13/ensino_educacaobasica_interna,737144/a-militarizacao-das-escolas.shtml>. Acesso em: 08 de jun. de 2019.

FREITAS, Luiz Carlos de. Qualidade Negociada: Avaliação e Contra-regulação na escola pública. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 26, n. 92, p. 911-933, Especial - Out. 2005 Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/es/v26n92/v26n92a10.pdf>. Acesso em: 08 de jun. de 2019.

PIAUÍ. Constituição (2013) Constituição do Estado do Piauí. Disponível em <http://www.cge.pi.gov.br/legis/legislacao/constituicao-do-estado-do-piaui-2013.pdf>. Acesso em 08 jun. 2019.

______. Lei Complementar nº 71, de 26 de julho de 2006. Dispõe sobre o Estatuto e o Plano de Cargos e Carreira e vencimento dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado do Piauí e dá outra providência.

RICCI, Rudá. A militarização das escolas públicas – Edição 134. Disponível em: < https://diplomatique.org.br/A-MILITARIZACAO-DAS-ESCOLAS-PUBLICAS> . Acesso em: 09 de jun. de 2019.

TERESINA, Perfil dos Bairros. Disponível em: <https://semplan.teresina.pi.gov.br/wpcontent/uploads/sites/39/2018/08/MORADA-DO-SOL-2018.pdf>. Acesso em: 30 de mai de 2019.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

Soares, M. G. F., Silva, S. de O., Almeida, L. R. V. B. de, dos Santos Soares, L. M., & da Cruz, R. E. (2019). Escola militar para quem? O processo de militarização das escolas na rede estadual de ensino do Piauí. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 35(3), 786. https://doi.org/10.21573/vol35n32019.96132

Edição

Seção

Dossiê: Militarização da Escola Pública