A ANATOMIA HISTÓRICA DE GRAY: A REPRESENTAÇÃO DA ERA VITORIANA EM POOR THINGS, DE ALASDAIR GRAY

Carolina de Pinho Santoro Lopes

Resumo


Poor Things (1992), de Alasdair Gray, apresenta uma releitura de Frankenstein, de Mary Shelley. Gray retoma a história de uma criatura trazida à vida por meio de um experimento científico em uma paródia que se passa na cidade escocesa de Glasgow, durante a Era Vitoriana. O objetivo deste trabalho é analisar a representação da Era Vitoriana no romance, enfocando principalmente questões sociais, políticas e econômicas. Além disso, pretende-se explorar a visão sobre a ciência na sociedade vitoriana, assim como o papel das mulheres nesse campo. Finalmente, será investigada a forma como a representação do século XIX contribui para a apresentação de críticas por parte de Gray sobre a época contemporânea.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.86264

Direitos autorais 2018 Carolina de Pinho Santoro Lopes

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

E-ISSN: 22388915 / ISSN Impresso: 0102-6267

LICENÇA

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

INDEXADORES

  

     

   

 

           Imagen relacionada

   

Flag Counter