HORÁCIO E DRUMMOND: O TEMPO QUE DISPARA TAMBÉM REPARA

José Ernesto de Vargas

Resumo


O presente artigo tem como objetivo analisar o tempo na poesia lírica de Horácio, poeta latino do século I a.C. e do modernista brasileiro Carlos Drummond de Andrade, a permanência e as transformações dos elementos líricos ao longo dos séculos na história da literatura ocidental. O tempo é visto como elemento motivador do famoso carpe diem horaciano nos livros de Odes e epodos, bem como motivador dos seguintes subtemas decorrentes: a) a efemeridade da vida b) a morte, c) a antinomia juventude-velhice, d) os prazeres da vida e) a eternização do poeta via arte. Na obra de Drummond, Nova Reunião: 19 livros de poesia, observamos a presença e a forma como é mostrado o tema central, o tempo, tal como os subtemas acima citados.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.44137

Direitos autorais



E-ISSN: 22388915 / ISSN Impresso: 0102-6267

LICENÇA

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

INDEXADORES

  

     

   

 

           Imagen relacionada

   

Flag Counter