MARCHA RUMO À AMAZÔNIA: A RELAÇÃO CRIADOR/CRIATURA NO DISCURSO DE FUNDAÇÃO DA GLEBA CELESTE, EM MATO GROSSO

Leandro José do Nascimento, Fernando Zolin-Vesz

Resumo


A década de setenta do século passado marca, na região norte de Mato Grosso, o surgimento do projeto de colonização Gleba Celeste. Nele, a Colonizadora SINOP S.A. dos empresários Enio Pipino e João Pedro Moreira de Carvalho implanta as cidades de Vera, Sinop, Santa Carmem e Cláudia. Este artigo analisa o discurso da fundação da Gleba Celeste a fim de observar os efeitos produzidos e como reafirmam a lógica criador/criatura. O estudo do discurso recorre à entrevista de Enio Pipino ao Museu da Imagem e do Som (1982), por meio da qual a narrativa de colonização é realizada. A análise é amparada em conceitos como formação discursiva, enunciado, relações de poder, verdade e poder inscritos em Michel Foucault e sugere que a fundação deste empreendimento não correspondeu, apenas, à uma estratégia administrativa de criação de cidades, mas um esforço para levar a verdade a outrem, evidenciando uma hierarquia no/pelo discurso.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2238-8915.103610

Direitos autorais 2021 Organon

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

E-ISSN: 2238-8915 / ISSN Impresso: 0102-6267


LICENÇA

 

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional


APOIO


BASES E INDEXADORES

 

 

 

  Flag Counter