Ensino Híbrido: aspectos teóricos e análise de duas experiências pedagógicas com Sala de Aula Invertida

Autores

  • Gilmara Teixeira Barcelos IFFluminense
  • Silvia Cristina Freitas Batista IFFluminense

DOI:

https://doi.org/10.22456/1679-1916.96587

Palavras-chave:

Ensino Híbrido, tecnologias digitais, Sala de Aula Invertida.

Resumo

De forma resumida, considera-se Ensino Híbrido como uma modalidade de ensino formal, na qual atividades presenciais e on-line são combinadas, de forma a contribuir para um ensino mais personalizado. No entanto, não há uma definição única para essa proposta, havendo variações inclusive em relação a que fatores podem ser combinados, de modo que a ação seja caracterizada como Ensino Híbrido. Nesse contexto, o presente trabalho tem por objetivo apresentar uma discussão sobre aspectos relacionados a essa modalidade de ensino. Tal discussão, que inclui considerações sobre a definição e sobre características dessa proposta, é respaldada por revisão bibliográfica e pela análise de duas experiências pedagógicas nas quais a Sala de Aula Invertida, uma forma de vivenciar o Ensino Híbrido, foi adotada. Dada a variedade de concepções e aspectos, considera-se fundamental que cada estudo relacionado ao tema Ensino Híbrido traga explicitamente a definição e a caracterização que o embasa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-08-23

Como Citar

TEIXEIRA BARCELOS, G.; CRISTINA FREITAS BATISTA, S. Ensino Híbrido: aspectos teóricos e análise de duas experiências pedagógicas com Sala de Aula Invertida. RENOTE, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 60–75, 2019. DOI: 10.22456/1679-1916.96587. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/96587. Acesso em: 16 ago. 2022.