Intensificação do Trabalho dos Diretores Escolares de Salvador e Região Metropolitana

Autores

  • Rodrigo da Silva Pereira Universidade Federal da Bahia
  • Catarina Cerqueira de Freitas Santos Universidade Federal da Bahia
  • Ruth Silva Nunes Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol38n002022.119233

Palavras-chave:

Nova Gestão Pública, Política Educacional, Gestão Escolar, Intensificação do Trabalho, Diretor Escolar

Resumo

Ao investigar de que maneira ocorre a intensificação do trabalho dos (as) diretores (as) das escolas de Ensino Médio da Bahia, o artigo analisa os efeitos das transformações dos sentidos do trabalho na sociedade contemporânea e a introdução dos parâmetros da Nova Gestão Pública na educação. A partir da análise do marco legal e de entrevistas com os profissionais foi possível apontar como parte dos elementos desse processo:  a) maior centralização das decisões em detrimento da gestão democrática e; b) a naturalização do acúmulo e diversidade das tarefas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo da Silva Pereira, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Educação (UnB). Professor Adjunto no Departamento I da Faculdade de Educação da UFBA. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação. Pesquisador da área de Estado e Políticas Educacionais.

Catarina Cerqueira de Freitas Santos, Universidade Federal da Bahia

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação FACED/UFBA.

Ruth Silva Nunes, Universidade Federal da Bahia

Licenciada em Ciências Sociais. Bolsista de Iniciação Cientifíca/CNPq.

Referências

ANTUNES, Ricardo. A sociedade dos adoecimentos no trabalho. Serv. Soc. Soc. no.123 São Paulo jul./set. 2015

ANTUNES, Ricardo. Desenhando a nova morfologia do trabalho: As múltiplas formas de degradação do trabalho. Revista Crítica de Ciências Sociais, 83, 2008, colocado online no dia 01 dezembro 2012, criado a 23 agosto 2019. URL : http://journals.openedition.org/rccs/431 ; DOI : 10.4000/rccs.431

ANTUNES, Ricardo; FILGUEIRAS, Vitor. Plataformas digitais, Uberização do trabalho e regulação no Capitalismo contemporâneo. Contracampo, Niterói, v. 39, n. 1, p. 27-43, abr./jul. 2020

BAHIA. Lei nº 8.261 de 29 de maio de 2002. Dispõe sobre o Estatuto do Magistério Público do Ensino Fundamental e Médio do Estado da Bahia.

_______. Lei 11.043 de 09 de maio de 2008. Dispõe sobre a finalidade, competência e composição do Colegiado Escolar nas escolas públicas de Educação Básica do Sistema Estadual de Ensino e dá outras providências.

_______. Decreto nº 11.175, de 18 de agosto de 2008. Dispõe sobre a implementação dos Colegiados Escolares, nas Escolas Públicas da Educação Básica do Sistema Estadual de Ensino.

________. Lei nº 13.559 de 11 de Maio de 2016. Aprova o Plano Estadual de Educação da Bahia e dá outras providências.

_______. Portaria nº 5.872, de 15 de Julho de 2011. Aprova o Regimento Escolar das unidades escolares integrantes do Sistema Público Estadual de Ensino e dá outras providências.

_______. Decreto nº 16.385, de 26 de outubro de 2015. Dispõe sobre os critérios e procedimentos do processo seletivo interno a ser realizado pela unidade escolar, requisitos para o preenchimento dos cargos de Diretor e Vice-Diretor das unidades escolares estaduais.

CÂMARA, Rosana Hoffman. Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 6 (2), jul - dez, 2013,179-191

CHESNAIS, François. Mundialização do Capital. Petrópolis: Vozes, 1997.

DAL ROSSO, Sadi. Intensidade e imaterialidade do trabalho e saúde. Trab. educ. saúde [online]. 2006, vol.4, n.1, pp.65-92. ISSN 1981-7746. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v4n1/05.pdf. Acesso em: ago. de 2019.

DAL ROSSO, Sadi. Ondas de Intensificação do Labor e Crise. Perspectivas, São Paulo, v. 39, p. 133-154, jan./jun. 2011. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/perspectivas/article/view/4755/4057. Acesso em mai. de 2020.

DRABACH, Nadia Pedrotti; SOUZA, Ângelo Ricardo. Leituras sobre a gestão democrática e o “gerencialismo” na/da Educação no Brasil. Revista Pedagógica, Chapecó, v.16, n.33, p. 221-248, Jul./Dez. 2014. Disponivel em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/2851/1655 Acesso em maio de 2020

FRIGOTTO, Gaudencio. A produtividade da escola improdutiva: um (re)exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. São Paulo: Cortez, 2010

JESUS, Edna Santos de; EVANGELISTA, Mary Adriana dos Santos; PEREIRA, Rodrigo da Silva. Análise dos marcos legais da gestão democrática nas escolas públicas estaduais da Bahia. REAe - Revista de Estudos Aplicados em Educação, v. 4, n. 8, jul./dez. 2019. Disponível em: https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_estudos_aplicados/article/view/6418/2913 Acesso em maio 2020.

LAVAL, Christian. A Escola não é uma empresa: o neo-liberalismo em ataque ao ensino público. Londrina: Editora Planta, 2004.

LIMA, Iana; GANDIN, Luis. Gerencialismo e dispersão de poder na relação Estado- educação: as traduções e os hibridismos do caso brasileiro. RBPAE - v. 33, n. 3, p. 729 - 749, set./dez. 2017

LIMA, Licinio. Produção e Reprodução de Regras: Normativismo e infidelidade normativa na organização escolar. In: Revista do Instituto de Inovação Educacional, vol. 4 nº 2-3, 1991

KUENZER, A. Z. Educação profissional: categorias para uma nova pedagogia do trabalho. Boletim Técnico do Senac, 2003. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2011

MASSON, Gisele. Materialismo Histórico e Dialético: uma discussão sobre as categorias centrais. Práxis Educativa, Ponta Grossa, PR, v. 2, n. 2, p. 105- 114, jul-dez. 2007.

OLIVEIRA, Dalila. As Políticas Educacionais no governo Lula: rupturas e permanências. RBPAE – v.25, n2, p.197-202, mai./ago. 2009

OLIVEIRA, Dalila; DUARTE, Alexandre; CLEMENTINO, Ana Maria, A Nova Gestão Pública no contexto escolar e os dilemas dos(as) diretores(as). RBPAE - v. 33, n. 3, p. 707 - 726, set./dez. 2017

PEREIRA, Rodrigo da Silva; SANTOS, Catarina Cerqueira de Freitas. O Escrito, O Dito e o Feito: A educação baiana nos primeiros 120 dias do segundo mandato de Rui Costa. In: ADRIÃO, Theresa; MARQUES, Luciana Rosa; SILVA, Marcia Ângela (org.). Políticas e prioridades para educação básica dos governos estaduais eleitos em 2018: para onde os sistemas estaduais caminham? Meio Eletrônico - Brasília: Anpae, 2019

PERONI, Vera Maria Vidal; ADRIÃO, Theresa. O público não-estatal: estratégias para o setor educacional brasileiro. In.: ______; ______ (Org.). O público e o privado na educação: interfaces entre Estado e Sociedade. São Paulo: Xamã, 2005. p.137-154.

PIMENTA, C. C. A reforma gerencial do Estado brasileiro no contexto das grandes tendências mundiais. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, 32 (5):173-199. set./out., 1998.

PONTES, Deysiane Farias; SOUZA, Flávio Bezerra de. Intensificação do trabalho dos diretores escolares do ensino médio regular do Distrito Federal. In: Silva, Maria Abádia da; Pereira, Rodrigo da Silva (Org.). Gestão Escolar e o Trabalho do Diretor. Curitiba: Appris, 2018

Downloads

Publicado

2022-11-23

Como Citar

Pereira, R. da S., Santos, C. C. de F., & Nunes, R. S. (2022). Intensificação do Trabalho dos Diretores Escolares de Salvador e Região Metropolitana. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 38(00). https://doi.org/10.21573/vol38n002022.119233