Educação Integral na Política de Ampliação da Jornada Escolar: Perspectivas Críticas em Paulo Freire

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol38n002022.113609

Palavras-chave:

Educação Integral, Políticas de jornada ampliada, Keywords, Integral education, Full-time policies, Paulo Freire. Paulo Freire. Palabras clave, Educación integral, Políticas de tiempo completo, Paulo Freire.

Resumo

Resumo: Trata-se de investigação com o objetivo de analisar dois Programas de jornada ampliada de uma rede municipal de ensino da Grande São Paulo. A epistemologia do ciclo de políticas formulada por Stephen Ball e sua equipe, fundamentou a metodologia de análise do contexto da influência e da produção dos textos. Com a teoria de Freire, problematizou-se o liberalismo e o conservadorismo que permeiam o conceito de educação integral, levando a políticas assistencialistas e credencialistas, obstaculizando a educação crítica e emancipatória dos estudantes, mantendo intocadas as estruturas.

Abstract: This article addresses an investigation with the aim of analyzing two extended-day Programs of a municipal education in Greater São Paulo. The epistemology of the policy cycle formulated by Stephen Ball and his team, founded the methodology for analyzing the context of influence and the production of the texts that were analyzed. With Freire´s theory, the liberalism and conservatism that permeate the concept of integral education were problematized, leading to assistentialist and credentialist policies, hindering the critical and emancipatory education of students, keeping the structures untouched.

Resumen: Este artículo aborda una investigación con el objetivo de analizar dos Programas de jornada extendida de una red de educación municipal en el Gran São Paulo. La epistemología del ciclo de políticas formulada por Stephen Ball y su equipo, fundó la metodología para analizar el contexto de influencia y la producción de los textos que fueron analizados. Con la teoría de Freire se problematizó el liberalismo y el conservadurismo que permean el concepto de educación integral, dando lugar a políticas asistencialistas y credencialistas, dificultando la educación crítica y emancipadora de los estudiantes, manteniendo intactas las estructuras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisabete Ferreira Esteves Campos, Universidade Metodista de São Paulo

Doutora em educação pela Universidade de São Paulo (USP). Docente e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação, stricto sensu, da Universidade Metodista de São Paulo. Líder do Grupo de Pesquisa Políticas de Gestão Educacional e de Formação dos Profissionais da Educação. Líder do Grupo de Estudos Paulo Freire.

Referências

ARROYO, M. Fracasso/sucesso: um pesadelo que perturba nossos sonhos. Em Aberto, Brasília, v. 17, n. 71 p. 33-40, jan. 2000.

ARROYO, M. O direito a tempos-espaços de um justo e digno viver. In: MOLL, Jaquelineet al. Caminhos da educação integral no Brasil: direito a outros tempos e espaços educativos. Porto Alegre: Penso, 2012. p. 33-45.

ARROYO, M. Gestão da educação com justiça social. Que gestão dos injustiçados? RBPAE - v. 36, n. 2, p. 768 - 788, mai./ago. 2020.

BALL, S. J. Diretrizes políticas globais e relações políticas locais em Educação. Currículo sem fronteiras, Porto Alegre, v. 1, n. 2, p. xxxvii-xliii, 2001.

BALL, S. J.; MAGUIRE, M.; BRAUN, A. Como as escolas fazem as políticas: atuação em escolas secundárias. Tradução: Janete Bridon. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2016. 332p.

BARBOSA, J. M.; SILVA, J. A. A. da. Tempos escolares no Programa Mais Educação: os truques e os mitos das ampliações em escolas públicas brasileiras. Movimento-Revista de Educação, Niterói, ano 4, n. 7, p.419-447, jul./dez. 2017.

BARRUCHO, L. Coronavírus: pandemia pode jogar até 14 milhões de brasileiros na pobreza, diz estudo. BBC News, 12 jun. 2020. Disponível em:

https://www.bbc.com/portuguese/brasil-53020785. Acesso em: 12 dez. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria Normativa Interministerial no. 17 de 24 de abril de 2007. Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades sócio-educativas no contraturno escolar. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 abr. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=2446-port-17-120110&category_slug=janeiro-2010-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 10 nov. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Lei 10.172 de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, p. 1, 10 jan. 2001. Disponível em: https://legislacao.presidencia.gov.br/atos/?tipo=LEI&numero=10172&ano=2001&ato=217MTRE5kMNpWT3af. Acesso em: 10 nov. 2020.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Caderno Territórios Educativos para Educação Integral. Brasília/DF, 2014a. 60p.

BRASIL. Presidência da República. Lei 13.005 de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação-PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União: Edição extra, Brasília, DF, 2014b.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundação Itaú Social. Banco Mundial. Relatório de Avaliação Econômica e Estudos Qualitativos. O Programa Mais Educação. São Paulo: Fundação Itaú Social, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Programa Mais Educação: Passo a Passo. Brasília: MEC/Secad, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/passoapasso_maiseducacao.pdf. Acesso em: 8 jul. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria 1.144 de 10 de outubro de 2016. Institui o Programa Novo Mais Educação, que visa melhorar a aprendizagem em língua portuguesa e matemática no ensino fundamental. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 11 out. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 15 mar. 2018.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Deputados defendem regulamentação do ensino domiciliar no País com apoio do governo. Publicado em 22 de set. 2020. Disponível em: https://www.camara.leg.br/noticias/694872-deputados-defendem-regulamentacao-do-ensino-domiciliar-no-pais-com-apoio-do-governo/. Acesso em: 10 mar. 2021.

CASTANHO, M. I. S.; MANCINI, S. G. Educação Integral no Brasil: potencialidades e limites em produções acadêmicas sobre análise de experiências. Ensaio: aval. pol. publ. Educ, Rio de Janeiro, v. 24, n. 90, p. 225-248, jan./mar. 2016.

COLLINS, R. The credential society: an historical sociology of education and stratification. Nova York: Academic Press, 1979.

DÓREA, C. R. D. Anísio Teixeira e as políticas de edificações escolares no Rio de Janeiro (1931-1935) e na Bahia (1947-1951). In: REUNIÃO DA ANPED, 23., 2000. Caxambu. Anais [...]. Caxambu, MG, 2000.

FÁVERO, M. de L. Resenha. TEIXEIRA, Anísio. Educação não é privilégio. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1957. Rev. Bras. Educ. no.14 p. 176-180. Rio de Janeiro May/Aug. 2000.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora Unesp, 2000.

FREIRE, P. Política e educação. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 46. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 38. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

MAINARDES, J. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educ. Soc. Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006.

MAINARDES, J. A pesquisa sobre política educacional no Brasil: análises de aspectos teórico-epistemológicos. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 33, p. 1-25, 2017.

MAINARDES, J. A abordagem do ciclo de políticas: explorando alguns desafios da sua utilização no campo da política educacional. Jornal de Políticas Educacionais, v. 12, n. 16. p.1-19, ago. 2018.

SAVIANI, D. Ética, educação e cidadania. In: SAVIANI, Dermeval. O lunar de Sepé: paixão, dilemas e perspectivas na educação. Campinas: Autores Associados, 2014.

SEVERINO, A. J. Educação, trabalho e cidadania: a educação brasileira e o desafio da formação humana no atual cenário histórico. São Paulo em Perspectiva, v.14, n.2, p. 65-71, abr./jun. 2000.

SILVA, P. A. D. da. A falácia da educação integral sob o domínio imperialista: um estudo do Programa Mais Educação em Rondônia. 224 f. Tese (doutorado). Universidade Federal do Amazonas, 2017.

TEIXEIRA, A. Educação não é privilégio. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1957.

Downloads

Publicado

2022-08-10

Como Citar

Campos, E. F. E. (2022). Educação Integral na Política de Ampliação da Jornada Escolar: Perspectivas Críticas em Paulo Freire. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 38(00). https://doi.org/10.21573/vol38n002022.113609