Ocorrência de racismo no ensino superior em saúde na perspectiva docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol38n002022.113350

Palavras-chave:

Racismo, Educação Superior, Capacitação de Recursos Humanos em Saúde, Prática Profissional.

Resumo

O presente estudo investigou a ocorrência de racismo no ensino superior, segundo a percepção de docentes de uma universidade pública federal, no interior do Nordeste, Brasil. Trata-se de uma pesquisa descritiva e quantitativa, realizada entre janeiro de 2018 e dezembro de 2019. Observou-se uma aparente tendência de negação do auto relato de racismo, inclusive em relação à proximidade com o ambiente onde o racismo ocorria. A ocorrência de fatos discriminatórios encontrados, muito provavelmente subestimados, indica a necessidade de se debater a existência do racismo institucional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Jardim, Docente do Departamento de Educação em Saúde de Lagarto, Universidade Federal de Sergipe

Doutora (2010) e Mestre (2006) em Saúde Pública pela Universidade Federal de Minas Gerais. Graduada em Fonoaudiologia pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix (1999)

Manoel Gomes de Oliveira Júnior, Discente do Departamento de Terapia Ocupacional de Lagarto, Universidade Federal de Sergipe

Graduando em Terapia Ocupacional

Márcia Schott, Docente do Departamento de Educação em Saúde de Lagarto, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2013). Mestre em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública/Fiocruz (2008). Possui Especialização em Educação Profissional em Saúde pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz (2007). Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Viçosa (2004)

Referências

ABRAMOVAY, Miriam; CASTRO, Mary Garcia (org.). Relações sociais na escola: reprodução de desigualdades em nome da igualdade. Brasília: UNESCO, 2006.

AMBRÓSIO, Leticia. Raça, gênero e sexualidade: uma perspectiva da Terapia Ocupacional para as corporeidades dos jovens periféricos. 2020, 165f. (Dissertação de Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, SP, Brasil, 2020.

AMMA. Instituto Amma Psique e Negritude. Os efeitos psicossociais do racismo. São Paulo: Impressão Oficial, 2008.

AMORIM, Sulamita Gonzaga; MARTINS, Sofia; LEITE JUNIOR, Jaime Daniel; FARIAS, Magno Nunes. “Asfixias sociais” da população negra e questões para a Terapia Ocupacional. Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional. v. 4, n. 5, p. 719-733, 2020.

ARBOLEYA, Arilda; CIELLO, Fernando; MEUCCI, Simone. " Educação para uma vida melhor": trajetórias sociais de docentes negros. Cadernos de Pesquisa, v. 45, n. 158, p. 882-914, out./dez. 2015.

AZEVEDO, Célia Maria Marinho de. Cota racial e estado: abolição do racismo ou direitos de raça?. Cadernos de pesquisa, v. 34, n. 121, p. 213-239, jan./abr. 2004.

BARBOSA, Maria Ligia de Oliveira. As relações entre educação e raça no Brasil: um objeto em construção. In: SOARES, Sergei; BELTRÃO, Kaizô Iwakami; BARBOSA, Maria Ligia de Oliveira; FERRÃO, Maria Eugénia (org.). Os mecanismos de discriminação racial nas escolas brasileiras. Rio de Janeiro: IPEA, 2005. p. 5-19.

BATISTA, Luís Eduardo; BARROS, Sônia. Enfrentando o racismo nos serviços de saúde. Cadernos de saude publica, v. 33, p. e00090516, mai. 2017.

BATISTA, Luís Eduardo; MONTEIRO, Rosana Batista; MEDEIROS, Rogério Araújo. Iniquidades raciais e saúde: o ciclo da política de saúde da população negra. Saúde em Debate, v. 37, n. 99, p. 681-690, out./dez. 2013.

BRASIL. Resolução nº 3, de 20 de junho de 2014. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Cruso de Graduação em Medicina e dá outras providências. Diário Oficial da União 2014; 20 jun.

CRUZ, Isabel Cristina Fonseca; MONTEIRO, Maria do Carmo Sales. Contextualizando a saúde da População Negra – Módulo Saúde Integral da População Negra. UNA-SUS [Acervo de Recursos Educacionais na Saúde] 2016 Jan [acessado 2020 Out 29]; [cerca de 64 p.]. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/2981

CRUZ, Priscila; MONTEIRO, Luciano (org). Anuário Brasileiro de Educação Básica. São Paulo: Moderna, 2019.

DAVID, Emiliano de Camargo. Saúde mental e racismo: a atuação de um Centro de Atenção Psicossocial II Infantojuvenil. 2018, 168f. (Dissertação de Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social. Pontíficia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil, 2018.

EURICO, Márcia Campos. A percepção do assistente social acerca do racismo institucional. Serviço Social & Sociedade, n. 114, p. 290-310, abr./jun. 2013.

FARIAS, Magno Nunes; LEITE JUNIOR, Jaime Daniel; COSTA, Isabelly Regianne Brasil Braga da. Terapia Ocupacional e população negra: possibilidades para o enfrentamento do racismo e desigualdade racial. Revista Interinstitucional Brasileira de terapia ocupacional, v. 2, n. 1, p. 228-243, 2018.

FIGUEIREDO, Ângela; GROSFOGUEL, Ramón. Racismo à brasileira ou racismo sem racistas: colonialidade do poder e a negação do racismo no espaço universitário. Sociedade e Cultura, v. 12, n. 2, p. 223-234, jul./dez. 2009 (Dossiê - Relações raciais em perspectiva).

GALHEIGO, Sandra Maria. O cotidiano na terapia ocupacional: cultura, subjetividade e contexto histórico-social. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, v. 14, n. 3, p. 104-9, set./dez. 2003.

GOES, Emanuelle Freitas; RAMOS, Dandara de Oliveira; FERREIRA, Andrea Jacqueline Fortes. Desigualdades raciais em saúde e a pandemia da Covid-19. Trabalho, Educação e Saúde, v. 18, n. 3, mai. 2020.

GONÇALVES, Renata; AMBAR, Gabrielle. A questão racial, a universidade e a (in) consciência negra. Lutas Sociais, v. 19, n. 34, p. 202-213, jan./jun. 2015.

GOMES, Nilma Lino. Cultura negra e educação. Revista Brasileira de Educação, n. 23, p. 75-85, 2003.

GOMES, Nilma Lino. Diversidade étnico-racial, inclusão e equidade na educação brasileira: desafios, políticas e práticas. RBPAE, v. 27, n. 1, p.109-121, jan/abr. 2011.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Desigualdades Sociais por cor ou raça no Brasil. Rio de Janeiro, 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil. Estudos e Pesquisas. Informação Demográfica e Socioeconômica [informativo na Internet]. 2019 [acessado 2020 Out 29]; (41): [cerca de 12 p.] Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101681_informativo.pdf

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior: Notas estastísticas 2019. Brasília: Ministério da Educação, 2020.

JACCOUD, Luciana (org). A Construção de uma política de promoção da igualdade racial: uma análise dos últimos 20 anos. Brasília: IPEA, 2009.

KALCKMANN, Suzana; SANTOS, Claudete Gomes dos; BATISTA, Luís Eduardo; CRUZ, Vanessa Martins da. Racismo institucional: um desafio para a eqüidade no SUS?. Saúde e sociedade, v. 16, n. 2, p. 146-155, 2007.

LACERDA, Roberto dos Santos. Territorialidade, saúde e meio ambiente: conexões, saberes e práticas em comunidades quilombolas de Sergipe. 2017, 248f. (Tese de Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2017.

LOUIS-JEAN, James; CENAT, Kenney; NJOKU, Chidinma V.; ANGELO, James; DEBBIE, Sanon. Coronavirus (COVID-19) and racial disparities: a perspective analysis. Journal of racial and ethnic health disparities, v. 7, n. 6, p. 1039-1045, 2020.

LÓPEZ, Laura Cecilia. O conceito de racismo institucional: aplicações no campo da saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 16, n. 40, p. 121-34, jan./mar. 2012

MACHADO, Maria Helena; WERMELINGER, Mônica; TAVARES, Maria de Fátima Lobato; MOYSÉS, Neuza Maria Nogueira; TEIXEIRA, Márcia; OLIVEIRA, Eliane dos Santos de. Análise da força de trabalho do setor saúde no Brasil: focalizando a feminização. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, Rede Observatório de Recursos Humanos em Saúde, 2006.

MARQUES, Eugenia Portela de Siqueira. O acesso à educação superior e o fortalecimento da identidade negra. Revista Brasileira de Educação, v. 23, 2018.

MARQUES, Eugenia Portela de Siqueira; RIBEIRO, Maria Aparecida Pereira dos Santos. Quais as implicações para o fortalecimento da identidade negra no contexto da Educação Superior?. Práxis Educacional, v. 15, n. 32, p. 205-224, abr./jun. 2019 (Dossiê - Saberes docentes de intelectuais negras: mediações outras frente ao ethos acadêmico).

OSÓRIO, Rafael Guerreiro; SOARES, Sergei. A Geração 80: um documentário estatístico sobre a produção das diferenças educacionais entre negros e brancos. In: SOARES, Sergei; BELTRÃO, Kaizô Iwakami; BARBOSA, Maria Ligia de Oliveira; FERRÃO, Maria Eugénia (org.). Os mecanismos de discriminação racial nas escolas brasileiras. Rio de Janeiro: IPEA, 2005. p. 21-39.

TAVARES, Natália Oliveira; OLIVEIRA, Lorena Vianna; LAGES, Sônia Regina Corrêa. A percepção dos psicólogos sobre o racismo institucional na saúde pública. Saúde em Debate, v. 37, p. 580-587, out./dez. 2013.

VANSTREELS, Christine (org.) A democratização e expansão da educação superior no país 2003-2014. Brasília: Ministério da Educação, 2014.

WILLIAMS, David R.; PRIEST, Naomi. Racismo e Saúde: um corpus crescente de evidência internacional. Sociologias, v. 17, n. 40, p. 124-174, 2015.

Downloads

Publicado

2022-05-09

Como Citar

Jardim, R., Oliveira Júnior, M. G. de, & Schott, M. (2022). Ocorrência de racismo no ensino superior em saúde na perspectiva docente. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 38(00). https://doi.org/10.21573/vol38n002022.113350