Nude aesthetics of the disabled persons: a political and anti-normative political analysis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/1984-1191.135337

Palavras-chave:

Body, Scan, Free Citizen, Art, Nudity, Person with Disabilities

Resumo

Em toda sociedade, o corpo sempre esteve nas garras dos poderes que lhe impõem limites e proibições. Na contemporaneidade, porém, os dispositivos de esquadrinhamento do corpo têm se avolumado, visando desmontá-lo e remontá-lo a partir de normas estabelecidas. Dessa maquinaria emerge uma compreensão binária da corporeidade humana: de um lado, o saudável, o belo, o normal e o eficiente; do outro, os doentes, feios, anormais e deficientes. Diante desse cenário, é importante criarmos um ambiente em que seja possível formar cidadãos livres, artistas de si mesmos, que transformem suas vidas em obras de arte. Este artigo pretende refletir sobre a nudez antinormativa das pessoas com deficiência, ao mesmo tempo que procurará responder às seguintes questões: O que significa ter um corpo anormal? A pessoa com deficiência tem um corpo que carrega uma estética? Procurarei responder a estes questionamentos através das reflexões filosóficas políticas e dos meus trabalhos artísticos. Portanto, desejei trazer para a superfície do diálogo público os efeitos invisibilizadores que as maquinarias de governamentalidade têm sobre os corpos das pessoas com deficiência; ao mesmo tempo em que procurarei construir um lócus possibilitador de visibilidade desses mesmos corpos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Nudities. Trad. Davi Pessoa. California, Stanford University Press, 2011.

ARENDT, Hannah. The Human Condition. Chicago: The University of Chicago Press, 1958.

BUTLER, Judith. "How Bodies Come to Matter: An interview with Judith Butler". Signs: Journal of Women in Culture and Society, v. 23, n. 2, p. 275-286, 1998.

CASTELO BRANCO, Guilherme; Veiga-Neto, Alfredo. Foucault: Filosofia & Política. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault: Um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Tradução de Ingrid Muller Xavier. 2. Ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

DUARTE, André. Vidas em Rico: crítica do presente em Heidegger, Arendt e Foucault. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da Sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FOUCAULT, Michel. Herculine Barbin: o diário de um hermafrodita. Trad. de Irley Franco. Rio de Janeiro: F. Alves, 1982.

FOUCAULT, Michel. Microfíisica do poder. 4. Ed. Organização, Introdução e Revisão Técnica de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2016.

FOUCAULT, Michel. Sujeito e Poder. In: DREYFUS, H. & RABINOW, P. Michel Foucault, uma trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Universitária, 1995.

FOUCAULT, Michel. O Governo de si e dos outros: cursos do Collége de France (1982-1983). Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FOUCAULT, Michel. Os anormais: cursos do Collége de France (1974-1975). Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2010b.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Trad. de Raquel Ramalhete. 42. Ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

GILBERT, Ana Cristina Bohrer; KELLERMAN, Paulo. Geografias corporais: dança, corpo e deficiência. Interface (Botucatu). 2020; p.1-28.

IRWIN, L. Rita; DIAS, Belidson (Org.). Pesquisa Educacional Baseada em Arte: A/r/tografia. Santa Maria: Editora UFSM, 2013.

KRISTEVA, Julia. Pouvoirs de l’ horreur: essai sur l’abjection. Paris : Éditions du Seuil, 2015.

MONTEIRO, Rafael. O Nascimento das Tupiniquins – Amapô. Disponível em: https://www.instagram.com/rafaelmmartes/. Acesso em 14 Set. 2020.

MORAES, Daniel. Mão-fenômeno. Disponível em: https://www.instagram.com/danielmoraesss/. Acesso em 14 Set. 2020.

MARQUES, Fernando M. Corpo, género e sexualidade nas artes visuais. Exedra Revista Científica ESEC, 2014, p. 65-72.

MARQUES, Roberta Letícia Pereira. Corpo deseducado: Gênero, performance e política do corpo em poéticas visuais. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Artes Visuais, 2014.

MARQUES, Roberta Letícia Pereira; BERARDO, Rosa Maria. Corpo monstro: estratégias de deseducação do corpo feminino a partir de uma poética visual. Anais do VI Seminário Nacional de Pesquisa em Arte e Cultura Visual Goiânia: UFG, FAV, 2013, p. 539-549.

PASSOS, Fábio. A nudez antinormativa. Disponível em: https://fabiopassos.com/fragmentos. Acesso em 23 Jan. 2022.

RAGO, Margareth; VEIGA-NETO, Alfredo. Figuras de Foucault. 3. Ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

SANTOS, Adriana. Sem título. Disponível em: https://www.instagram.com/ateliemonstro/. Aces in 14 Set. 2020.

SIEBERS, Tobin. Disability Aesthetics. Michigan: University of Michigan Press, 2010.

SILVA, William da; Blanca, Rosa. Nudez masculina: homoerotismo e artes visuais no Rio Grande do Sul. Revista Seminário de História da Arte. VOLUME 01, Nº 07, 2018, p. 1-21.

TAYLOR, Astra. Examined life: philosophy in the streets. Documentário, 87 min. Canadá, 2008. Judith Butler & Sunaura Taylor. Disponível em: www.youtube.com/watch?v=k0HZaPkF6qE

TUCHERMAN, Ieda. Breve história do corpo e de seus monstros. Portugal: Vega, 2012.

Downloads

Publicado

2024-02-15

Como Citar

ABREU PASSOS, F. Nude aesthetics of the disabled persons: a political and anti-normative political analysis. ILUMINURAS, Porto Alegre, v. 24, n. 66, 2024. DOI: 10.22456/1984-1191.135337. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/article/view/135337. Acesso em: 12 abr. 2024.