A Tropa de Cera de Vitorino: Os Kanhgág no Paraná nas rotas de cavalos e bois

Autores

  • Josiéli Andréa Spenassatto Universidade Federal do Paraná / Museu Paranaense
  • Felipe Vander Velden
  • Claudia Parellada

DOI:

https://doi.org/10.22456/1984-1191.132120

Palavras-chave:

Kanhgág, Animais Domesticados, Materialidades Indígenas, História Indígena

Resumo

Entrelaçando museologia, arqueologia e antropologia, este artigo discute um singular conjunto de peças depositado no acervo do Museu Paranaense (MUPA). Trata-se do que chamamos de uma tropa de humanos e animais confeccionada em cera de abelha por um artesão Kanhgág, Vitorino, nos anos de 1940. Pesquisa aprofundada permitiu não apenas reclassificar o conjunto no acervo do MUPA, como complexificar o entendimento sobre sua trajetória, desde o micro-contexto de sua produção e coleta, até o macro-contexto de sua inserção no âmbito das relações entre os Kanhgág no Paraná e os não indígenas invasores de seus territórios. Nosso foco recai, especialmente, no que estes materiais nos dizem sobre as interações dos Kanhgág com os animais domesticados introduzidos e com certos artefatos vinculados ao mundo das fazendas (espingardas, arreios, laços, chapéus). Com isso, exploramos as múltiplas narrativas dos encontros entre indígenas e não indígenas que podem emergir da investigação de materialidades, destacando aspectos ainda pouco discutidos da história das relações interétnicas no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2024-02-15

Como Citar

SPENASSATTO, J. A.; VANDER VELDEN, F.; PARELLADA, C. A Tropa de Cera de Vitorino: Os Kanhgág no Paraná nas rotas de cavalos e bois. ILUMINURAS, Porto Alegre, v. 24, n. 66, 2024. DOI: 10.22456/1984-1191.132120. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/article/view/132120. Acesso em: 12 abr. 2024.