Indução do parto com misoprostol versus dinoprostone:

uma meta-análise de sete ensaios clínicos randomizados

Autores

  • Sérgio Martins-Costa
  • Luciana Bertoldi Nucci
  • José Geraldo Lopes Ramos

Resumo

OBJETIVO: Comparar a eficácia e a segurança de dois análogos das prostaglandinas, misoprostol e dinoprostone, na indução do parto em gestações de terceiro trimestre com feto vivo e cérvice desfavorável ao uso de ocitocina, conforme relatos recentes na literatura.

MÉTODOS: Foram selecionados do sistema Medline sete estudos randomizados, controlados e prospectivos, comparando misoprostol (n = 500) com dinoprostone (n = 498) utilizados por via vaginal. Utilizou-se o método de DerSimonian e Laird para avaliar a homogeneidade do efeito do tratamento para cada variável analisada pelos sete estudos. Optou-se pelo risco relativo com intervalo de confiança de 95% para avaliar o resultado de cada ensaio clínico, calculando-se também o RR “comum” para os diferentes desfechos pelo método de Mantel-Haenszel, utilizando-se o pacote estatístico SAS. Os seguintes desfechos foram analizados: uso de ocitocina; índice de cesariana; eliminação de mecônio; escore de Apgar no 1º e 5º minutos.

RESULTADOS: Houve uma diminuição significativa – aproximadamente 50% – na necessidade de uso de ocitocina com a aplicação do misoprostol em relação ao dinoprostone (RR = 0,55; 0,49-0,63). Não foi encontrada nenhuma diferença na necessidade de cesariana entre o grupo que utilizou misoprostol (RR = 1,04; 0,81- 1,34) e o que utilizou dinoprostone. Houve uma incidência ligeiramente aumentada de eliminação mecônio no grupo do misoprostol (RR = 1,39; 1,03-1,86) em relação ao dinoprostone. Não foi encontrada nenhuma diferença significativa entre o grupo que utilizou misoprostol e o grupo que utilizou dinoprostone em relação à incidência de escores de Apgar menor do que 7, tanto no 1º minuto (RR = 1,36; 0,92-2,26), como no 5º minuto (RR = 1,39; 0,36-5,36). 


CONCLUSÕES: O misoprostol por via vaginal é tão efetivo e tão seguro quanto o dinoprostone para a indução do parto em gestações de terceiro trimestre com feto
vivo e cérvice desfavorável ao uso de citocina. A dose de 50 mg de misoprostol pode provocar um aumento na eliminação de mecônio, sem contudo comprometer o
desempenho perinatal dos recém nascidos. O custo do tratamento com misoprostol foi significativamente menor nos três estudos que avaliaram este item. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-05-25

Como Citar

1.
Martins-Costa S, Bertoldi Nucci L, Lopes Ramos JG. Indução do parto com misoprostol versus dinoprostone:: uma meta-análise de sete ensaios clínicos randomizados. Clin Biomed Res [Internet]. 25º de maio de 2022 [citado 14º de abril de 2024];18(2). Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/hcpa/article/view/124753

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)