A (in)visibilidade do trabalho feminino nos Almanachs de Pelotas (1913 - 1935)

Autores

  • Paula Garcia Lima Universidade Federal de Pelotas
  • Francisca Ferreira Michelon Universidade Federal de Pelotas

Palavras-chave:

Mulheres, Trabalho, Almanachs de Pelotas

Resumo

Este trabalho tem por objetivo indicar as relações entre mulheres e trabalho a partir da observação dos Almanachs de Pelotas, tomando como elementos de análise específicos os seus textos, fotografias e reclames. A referida publicação, de periodicidade anual, circulou em Pelotas entre os anos de 1913 e 1935, tendo como objetivo principal divulgar os progressos modernos da cidade. Ao serem tecidas observações sobre o trabalho feminino promulgado por meio dos elementos citados, pode-se, além disso, sugerir que a delimitação do público do periódico era prioritariamente o masculino e mais conservador, o que pode justificar os discursos em torno do ideal de mulheres como donas de casa e, nos casos de trabalho fora do lar, repletos de limites baseados nas atribuições de papéis sexuais. Discute-se, através deste texto, a histórica invisibilização das mulheres, questão que, se por um lado notória nos Almanachs, contraditoriamente, é a visibilidade por eles propiciadas que permitem a análise dos trabalhos possíveis para aquelas mulheres. Daí o título do artigo colocado de forma dúbia sobre o fato de o periódico dar vistas ou não a essas questões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Garcia Lima, Universidade Federal de Pelotas

Professora assistente da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) do Centro de Artes. Possui graduação em Artes Visuais - Habilitação em Design Gráfico pela UFPel (2004) e Graduação em Licenciatura Plena em Design (2009) pelo IF Sul-Rio-Grandense. É Doutoranda em Memória Social e Patrimônio Cultural pela UFPel (2010), mestre pelo mesmo programa e especialista em Mídias na Educação pelo IF Sul-Rio-Grandense (2010).

Francisca Ferreira Michelon, Universidade Federal de Pelotas

possui mestrado em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1993) e doutorado em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2001). Estágio no Arquivo Fotográfico da Câmara de Lisboa (2009) em conservação de fotografia. É professora (atualmente na categoria Associado) da Universidade Federal de Pelotas desde 1992.Participou das comissões que criaram os cursos de Bacharelado em Museologia (2006), Mestrado e Doutorado em Memória Social e Patrimônio Cultural (2006), Curso de Conservação e Restauro (2008), todos da Universidade Federal de Pelotas. Coordenou o Mestrado em Memória Social e Patrimônio Cultural de 2006 a 2008. Orienta alunos em pesquisa nos níveis de graduação e pós-graduação desde 1996. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Patrimônio Cultural, atuando principalmente nos seguintes temas: fotografia, patrimônio cultural, memória social, gestão de acervos, conservação de fotografias, história da fotografia e acessibilidade em museus.Tutora do Grupo PET Conservação e Restauro. Coordenadora da Coordenadoria de Comunidade e Cidadania e do Núcleo de Patrimônio Cultural da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura - UFPel.

Downloads

Publicado

2016-08-15

Como Citar

LIMA, P. G.; MICHELON, F. F. A (in)visibilidade do trabalho feminino nos Almanachs de Pelotas (1913 - 1935). Revista Aedos, [S. l.], v. 8, n. 18, p. 114–142, 2016. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/58679. Acesso em: 18 abr. 2024.