O impacto das práticas do Desenvolvimento Enxuto de Produtos no desempenho das grandes empresas do setor automotivo

Ana Julia Dal Forno, Fernando Antonio Forcellini, Henrique Rozenfeld, Liane Mählmann Kipper, Fernando Augusto Pereira

Resumo


Esse artigo tem como objetivo avaliar o impacto das práticas do Desenvolvimento Enxuto de Produtos no setor automotivo brasileiro. Foi enviado um questionário com 23 questões aos envolvidos no processo de 48 grandes empresas do setor, sendo que 22 responderam (taxa de retorno 46%). Identificou-se que embora o setor automotivo seja visto como referência na adoção de práticas enxutas, ainda há potencial de melhorias em estabelecer relações de parceria com os fornecedores, assim como a outra ponta da cadeia: identificar o valor do cliente. A Engenharia Simultânea Baseada em Conjuntos (SBCE) também é uma prática que precisa ser melhor desenvolvida, assim como o uso da ferramenta Mapeamento do Fluxo de Valor (MFV) para identificar os desperdícios e atividades que agregam valor no Processo de Desenvolvimento de Produtos. A partir do diagnóstico, é possível replicar as questões para outros setores. O valor do trabalho está nos resultados que permitem diagnosticar quais as práticas do Desenvolvimento Enxuto que são mais utilizadas no setor automotivo. Ainda, as questões da survey podem ser aplicadas em outros setores da economia e tamanhos de empresas. O tratamento estatístico afirmou a coerência interna do instrumento de pesquisa através do Alfa de Cronbach. O estudo contribui para uma visão sistêmica do Processo de Desenvolvimento de Produtos, sob a ótica de Pessoas, Processo e Tecnologia, além de auxiliar as empresas e a academia na gestão das mudanças.

Palavras-chave


Autoindústria, Lean, Processo de Desenvolvimento de Produtos, Práticas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1983-8026.51512