O PATRIMÔNIO CULTURAL E O PÓS-COLONIAL: NOTAS ETNOGRÁFICAS SOBRE UMA OCUPAÇÃO ARTÍSTICA NO CENTRO HISTÓRICO DE RIO DE CONTAS-BA

Jean Pierre Pierote Silva

Resumo


Esse artigo tem como objetivo pensar as relações entre o patrimônio cultural edificado e os modos de habitar a cidade. Parte-se de uma perspectiva pós-colonial e toma-se como base a experiência de pesquisa de campo etnográfica realizada durante uma residência artística na cidade de Rio de Contas (BA) em 2013. As questões em torno da relação entre as políticas de patrimônio cultural, a perspectiva pós-colonial e o uso metodológico de práticas artísticas na pesquisa etnográfica são as balizas que direcionam este trabalho. Elas permitiram pensar o patrimônio cultural também como uma plataforma discursiva onde os moradores das cidades patrimonializadas se apropriam material e simbolicamente dessas edificações, compondo outros usos e sentidos para o patrimônio no presente.


Palavras-chave


Patrimônio Cultural; Pós-Colonial; Afectos.

Texto completo:

356-376 PDF

Referências


DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O que é a filosofia? Trad. Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. Trad. Hélder Godinho. Lisboa: Presença, 1997/2007.

ECKERT, Cornelia; ROCHA, Ana Luiza Carvalho da. A cidade e suas crises, o patrimônio pelo viés da memória: por que e como preservar o passado? Habitus, Revista do Instituto Goiano de Pré-Historia e Antropologia da Universidade Católica de Goiás, v. 4, n.1, p. 455-470, jan./jun. 2006.

EUGENIO, Fernanda; Fiadeiro, João. Secalharidade como ética e como modo de vida: o projeto And_Lab e a investigação das práticas de encontro e de manuseamento coletivo do viver juntos. Urdimento, Florianópolis, v. 19, p. 61-69, 2012.

FAVRET-SAADA, J. Ser afetado. Trad. Paula de Siqueira Lopes. Cadernos de Campo, n. 13, p. 155-161, 2005.

GIBSON, James J. The ecological approach to the visual perception of pictures. Leonardo Journal, v. 11, n. 3, p. 227-35, 1978.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. A Retórica da Perda: os discursos do patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ; IPHAN, 1996.

GUARANÁ DE CASTRO, E. Estudos de Comunidade: reflexividade e etnografia em Marvin Harris. Revista Universidade Rural, v. 23,n. 2, p. 195-210, 2001.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

HARRIS, Marvin. Town and Country in Brazil. New York: Columbia University Press, 1956.

LIMA FILHO, Manuel Ferreira. Da matéria ao sujeito: inquietação patrimonial brasileira. Revista de Antropologia da USP, São Paulo, v. 52, n. 2, p. 605-632, jul.-dez. 2009.

PIEROTE SILVA, Jean Pierre. Deslocamentos Patrimoniais: polifonias, memórias e visualidades em Rio de Contas (BA). 2014. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.

RIEGL, Aloïs. O culto moderno dos monumentos, sua essência e sua gênese. Trad. Elaine Ribeiro Peixoto e Albertina Vicentine. Goiânia: UCG, 2006.

TAMASO, Izabela. Em nome do Patrimônio: Representações e Apropriações da Cultura na Cidade de Goiás. 2007. 787 f. Tese (Doutorado em Antropologia Social) -Universidade de Brasília, Brasília, 2007.




DOI: https://doi.org/10.22456/1984-1191.80358

Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - NUPECS/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191