Aplicação da técnica de eletrodiagnóstico em pacientes críticos: Uma revisão sistemática

Amanda Sachetti, Janaína Pilau, João Luiz Quagliotti Durigan, Alexandre Simoes Dias, Paulo Eugênio da Silva

Abstract


O ambiente de terapia intensiva está evoluindo em tecnologias para avaliação e tratamento sendo uma das técnicas mais atuais aplicadas neste ambiente o eletrodiagnóstico. Esta é uma revisão sistemática desenvolvida com base nos resultados de pesquisa das principais bases de dados, seguindo o PRISMA. Neste foram incluídos somente artigos observacionais que utilizaram a técnica de eletrodiagnóstico em pacientes críticos, para os mais diferentes objetivos e desfechos. As bases de dados consultadas foram: MEDLINE (acessado via PubMed), Fisioterapia Evidence banco de dados (Pedro), Registro de Ensaios Controlados (CENTRAL Cochrane) e EMBASE além de uma busca manual de referências adicionais. Um total de 10 artigos foram encontrados, sendo que dois apresentaram-se repetidos e outros seis foram excluídos por não contemplarem os critérios de inclusão obtendo-se ao final um total de dois artigos totalizando 33 pacientes. Um dos artigos apresentou resultados seguros, sem lesão muscular e o protocolo foi viável para ser aplicado em terapia intensiva. O outro artigo que após lesão cerebral traumática os pacientes podem apresentar distúrbios eletrofisiológicos, além de atrofia muscular generalizada sendo evidenciados pela técnica de eletrodiagnóstico.

Palavras-chave: Unidade de terapia intensiva; ventilação mecânica; eletrodiagnóstico cronaxia; músculo esquelético; respiração artificial


Keywords


Unidade de terapia intensiva; ventilação mecânica; eletrodiagnóstico cronaxia; músculo esquelético; respiração artificial



Copyright (c) 2019 Clinical & Biomedical Research

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

ISSN: 2357-9730 

http://seer.ufrgs.br/hcpa/

   

  

 

Apoio Financeiro:


 

Licença Creative Commons
The Clinical & Biomedical Research is licenced under Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.