Análise do perfil de doadores de sangue positivos para hemoglobina S em hemocentro do estado do Rio Grande do Sul

Natasha Coralles Laps, Julia Poeta, Vera Salazar

Abstract


Introdução: Portadores do traço falciforme podem doar sangue, porém requerem maior atenção ao direcionamento da sua transfusão. Considerando o perfil étnicoracial da região sul do Brasil, o presente artigo teve como objetivo analisar o perfil e a prevalência de Hemoglobina S em um hemocentro público de Porto Alegre. Métodos: Estudo transversal retrospectivo realizado através de uma pesquisa em banco de dados cadastrais e de resultados de testes imunológicos no período de janeiro de 2015 a dezembro de 2019. Resultados: Foram obtidos um total de 8.2363 registros cadastrais e 6.7184 testes imunológicos. Dos testes, 467 foram positivos para Hemoglobina S de 134 doadores distintos. O percentual de Hb S positiva apresentou uma média de 0,7% anual entre todos os doadores. Entre doadores autodeclarados “Negros” a prevalência é de 0,92% e “Caucasianos” é de 0,13%. Conclusão: Os dados corroboram com a literatura, porém o espectro social que abrange as denominações “Caucasiano Brasileiro” e “Mestiço” permanecem em questionamento dentro da relevância do marcador étnico da Hemoglobina S no Rio Grande do Sul.

Keywords


Doadores de sangue; Hemoglobina S; Hemoterapia; Etnia e Saúde



Copyright (c) 2021 Clinical & Biomedical Research

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

ISSN: 2357-9730 

http://seer.ufrgs.br/hcpa/

 

 

Apoio Financeiro:

 


Licença Creative Commons
The Clinical & Biomedical Research is licenced under Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.